Vêm aí  30 dias em que o foco das nossas energias passa do valor das coisas para a comunicação, aprendizagem, viagens e a curiosidade em geral. É pela palavra e pela mente que vemos várias hipóteses e que nos afirmamos ao mundo com o Sol – que hoje saíu de Touro e entrou em Gémeos – em trígono a Marte em Aquário. O discurso tem ainda de ser sobre os valores que possam  servir para regenerar situações ou poderes mas esses valores têm de ser diferentes, inovadores, com Mercúrio em Touro oposto a Júpiter em Escorpião e Urano também em Touro. Os resultados não são dados. Temos de estar preparados para a contestação e mesmo para nos zangarmos já que Urano faz quadratura a Marte e Quíron está em Carneiro, regido por Marte a lembrar-nos que não é bom para a moral nem saúde interiorizarmos velhas feridas. Difícil é também encontrar um equilíbrio entre a expressão dessa vontade de sarar dores passadas, afirmando sentimentos mesmo com zanga, e o desejo profundo de ter segurança, um ninho que nos seja familiar, com Quíron em Carneiro nem quadratura a Vénus em Caranguejo. A Lua em Leão ainda nos impele a dramatizar, chamando a atenção mas amanhã já vai ser o sentido prático a chama mais alta quando a Lua entrar em Virgem. Não nos podemos esquecer que Vénus avança para uma oposição a Saturno no final da semana e lá vêm mais restrições e necessidade de pragmatismo. Quanto mais nos interessarmos pelo que nos rodeia, menos nos envolvermos emocionalmente e mais centrados estivermos no nosso próprio valor, menos frustrante será a semana.

Tela de Picasso

Anúncios