Apesar de querermos sonhar, a realidade chama-nos à terra e as obrigações, limites, responsabilidades sobrepõem-se ao desejo de evasão ou  à fantasia de um mundo ideal.  Durante todo o fim de semana um grande trígono entre Vénus em Caranguejo, Júpiter em Escorpião e Neptuno em Peixes leva-nos a idealizar uma segurança emocional baseada em casa, família, ninho, país, rotinas, tradições mas uma oposição, também todo o fim de semana, de Saturno em Capricórnio a Vénus é indicador de que há que pôr ordem no sonho e, como Vénus está em quincúncio ao Nódulo Sul e semi-sextil ao Nódulo Norte, analisar bem se não estamos a sonhar com o passado em vez de evoluirmos para uma nova organização baseada na transformação do que partilhamos ou onde estamos inseridos, numa lógica de novos valores iluminados pelo debate favorecido pelo trígono de Mercúrio em Touro a Plutão em Capricórnio. Assim, o diálogo, comunicação, estudo,   avaliação do que está em jogo tem de ser prioritário assim como a análise do que é amarra ao passado e do que é o caminho de futuro, com Marte em Aquário conjunto ao Nódulo Sul a pedir o corte com o que é conhecido e por isso fácil e o Nódulo Norte em sextil ao Sol a dizer que é através do diálogo e da análise de diferentes opções que podemos tomar decisões práticas como exige o pragmatismo dos aspectos de Saturno. No sábado a Lua está até à tarde em Balança o que facilita o cuidado com o equilíbrio de posições mas de seguida e domingo está em Escorpião e todo o controlo é pouco para não irmos atrás de compulsões, principalmente na tarde de domingo quando a Lua faz conjunção a Júpiter. Para reduzir os conflitos de poder, agravados também domingo por um sesquiquadrado do Sol a Plutão, o melhor é dedicarmo-nos a descartar o que já não nos serve, limpando os armários da casa e da vida…

Anúncios