Clara Days
Palavras-chave: esperança; espiritualidade; inspiração; renovação.

Sempre as estrelas mostraram o caminho, nas noites escuras de todos os tempos. Uma estrela é usada, na linguagem comum, como sinal de bom presságio, inspiração ou meta. No Tarot, a Estrela, Arcano Maior 17, representa o Princípio Universal de Renovação das Categorias. No plano cósmico, isto corresponde à força que faz evoluir as galáxias, os planetas, as espécies, mas também as sociedades e as ideias.
No plano humano, abre-nos a uma nova visão do mundo, mais global, mais integrada. Permite-nos um maior alcance e visão, a revisão e reformulação das nossas crenças e valores. Faz-nos encontrar o sentido que une cada parte ao todo, e, assim, permite que nunca nos sintamos verdadeiramente sós.
A Estrela anula os juízos de valor, os comentários mesquinhos, o olhar tacanho em busca de pormenores para criticar. É uma carta mental e, sobretudo, espiritual. Traz-nos esperança em estado puro, independente de convenções ou conveniências.Eleva o sentido das nossas metas pessoais, atribuindo-lhes um valor que não é material. Eleva os nossos valores, substituindo o egoísmo pelo altruísmo.
A Estrela é feita das ideias que dão sentido à nossa vida.

Na imagem das cartas, está uma mulher nua. Embora haja alguns baralhos em que está coberta, é a única carta em que se apresenta assim, sem qualquer roupa, nos baralhos de Tarot. Esta nudez representa a pureza absoluta. Curiosamente, a estrela que é representada nas ilustrações parece um elemento secundário, que na maioria das vezes a mulher nem sequer olha. Mais importante é a água, junto à qual se ajoelha ou inclina. Tal como na maioria dos casos da representação da Temperança, também esta mulher tem duas vasilhas e, por vezes, um pé na terra e o outro na água. Só que a Temperança está coberta por um manto e faz passar água de uma vasilha para a outra, enquanto a Estrela, na sua singela nudez, verte líquido em dois sentidos, um orientado para a água, o outro para a terra. Dá de si para o elemento maior, digamos. É frequente a presença de aves simbólicas como o pelicano, símbolo de auto-sacrifício em prol dos outros, o flamingo rosa, símbolo da alma em ascensão, o mocho, símbolo de sabedoria, ou antes a borboleta, símbolo de metamorfose e transformação. Em baralhos mais recentes, a mulher pode não estar presente e a simbologia ser mais neutra ou natural. A presença da água, onde tudo flui, é talvez o elemento mais constante.
Este Arcano Maior 17 está associado astrologicamente ao signo de Aquário, também representado por uma pessoa que despeja a vasilha de água, o signo da elevação dos valores do colectivo. A letra hebraica que se lhe associa é HE ou HETH, a abertura, a janela. O número primo 17, curiosamente, é considerado aziago em algumas culturas; no entanto, pode ser associado a bem-aventurança, nomeadamente nos escritos de Santo Agostinho. O seu título esotérico tem duas designações: “A Filha do Firmamento” ou “O Habitante entre as Águas”.

Na semana que passou, fomos inspirados para sair da nossa zona de conforto e procurar um caminho pessoal, com vontade e determinação. Hoje, a Estrela aponta-nos esse caminho para uma meta mais elevada, um desígnio mais espiritual.
A luz-guia da Estrela mora dentro dos nossos corações. É o lado mais inocente e puro de cada um de nós, na sua expressão mais autêntica. É feito de sonhos que costumamos deixar guardados, por nos parecerem inatingíveis. A Estrela pede que os levemos a sério.
A Estrela pede que incorporemos nos nossos objectivos pessoais elementos elevados e altruístas, que nos abramos ao bem comum. Pede que tracemos um caminho onde trabalhemos para esse bem comum, numa dádiva de nós, sem pensar em reconhecimento ou retribuição. Traz-nos a luz que dá sentido e ilumina os nossos desejos, atribuindo-lhes mais espiritualidade.
Há uma Estrela para cada um de nós. Temos a oportunidade de seguir o caminho que nos mostra…

Imagem : Tarot de Crowley, desenhos de Frieda Harris (concebido entre 1938 e 1943), 1ª edição em 1969
Clara Days

Anúncios