A partir de sábado à tarde e todo o domingo o que mais ambicionamos é que haja ordem e garantias, poder planear a longo prazo e subirmos a montanha dos nossos desejos. No entanto o fim-de-semana vai demonstrar-nos que essas ambições podem não ter fundamento, vir ser reprimidas ou ter de ser re-avaliadas e isso não deixa de ter custos emocionais já que percebemos que o poder que queremos não é o poder que temos…É o trânsito da Lua em Capricórnio a partir das 13 GMT de sábado que durante os dois dias que deviam ser de descanso nos vai preocupar com questões estruturais, pessoais e colectivas já que as grandes ideias promovidas pela presença de Júpiter e Sol em Sagitário têm poucas possibilidades de terem um desenvolvimento fácil devido à quadratura do Sol a Marte e Neptuno em Peixes. Domingo ao final do dia vai ser particularmente esclarecedor do caminho a seguir porque a Lua vai fazer conjunção ao Nódulo Sul, quadratura a Urano em Carneiro e oposição ao Nódulo Norte em Caranguejo, num sinal claro de ruptura com uma velha ordem e a necessidade de encontrar nova estabilidade emocional ou segurança individual e colectiva. Este pesado trânsito da Lua durante este fim-de-semana pode acordar medos de instabilidade mas como Quíron em Peixes entra directo no domingo passamos também a poder sarar com consciência e profundidade velhas feridas de amor, partilha, pertença porque estamos mais prontos para dar do que à espera de receber. Mercúrio e Vénus em Escorpião permitem ir ao fundo da lógica e dos sentimentos, para passionalmente revermos o percurso da estabilidade desejada. Querer menos para si próprio facilita as potenciais frustrações do fim-de-semana.

Anúncios