Temos ainda quase todo o dia para estar num estado sonhador ou mais permeáveis a intuições mas a partir das oito da noite é a acção ou falta dela que toma conta das emoções. Depois da Lua Nova de ontem em Peixes, em simultâneo com a entrada de Urano em Touro e a retrogradação de Mercúrio, estamos sob a influência de Neptuno e das vagas de emoção que suscita, com Sol, o próprio Neptuno, a Lua e Mercúrio todos em Peixes, em quadratura ao seu outro regente, Júpiter, em trânsito em Aquário. O que isto nos diz é que estamos sensíveis ao que nos rodeia e às nossas vozes e que essa sensibilidade pode ser canalizada para fazer coisas concretas, principalmente tratar de assuntos pendentes, sem exagerar possibilidades e com todo o pragmatismo que o sextil a Saturno e a Plutão em Capricórnio encorajam. Há no entanto que esperar reações menos tolerantes porque Mercúrio faz semi-quadratura a Marte em Touro e isto tende a bloquear entendimentos pouco reflectidos.

Pelo jantar, a Lua entra em Carneiro, faz conjunção a Quíron e o sonho muda de rumo porque aspiramos a mais, aspiramos a agir e a fazer tudo o que está ao nosso alcance, de forma ímpetuosa, para marcar posição e valores, com Marte, regente do Carneiro, em trânsito em Touro. De facto, o que acontece é que, desde que Urano entrou ontem em Touro, tanto estamos sujeitos a surpresas nas áreas onde tínhamos mais estabilidade como somos nós próprios quem surpreende porque assumimos novos valores, tomamos posições inesperadas e largamos bases tradicionais de segurança, material, financeira, rotineira.  É bom arejarmos as ideias e estarmos prontos a assumir novos investimentos mas todo o cuidado é pouco com a forma como nos projectamos socialmente. Uma semi-quadratura de Vénus em Aquário a Júpiter em Sagitário dificulta o respeito de limites e o controlo de como nos desgastamos…