O desejo de voar, viajar, abrir horizontes, romper barreiras físicas ou do conhecimento é imenso hoje mas nem todos os voos são possíveis e o desafio do dia é o de nos mantermos conscientes dos limites e obrigações em que estamos a navegar. A tarefa não é fácil porque persiste a confusão ou ilusões sobre como gerir uma série de assuntos pendentes e isso perturba a aspiração de ir mais longe, com a Lua em Sagitário a fazer conjunção a Júpiter e quadratura a Mercúrio retrógrado e Neptuno em  Peixes. No fundo é como se antevíssemos a via de futuro mas na realidade o caminho fosse turvo ou mesmo impossível de implementar. O maior impeditivo vem das semi-quadraturas de Urano em Touro a Mercúrio e Neptuno em Peixes, agravado pelo sesquiquadrado da Lua a Urano. Estamos assim perante indicativos celestes de grande desejo de evasão ou progresso mas de grande dificuldade em concretizar o quer quer que seja. Que fazer? Trabalhar os detalhes,  resolver pendentes e en vez de voar alto fazer navegação costeira apoiada no trígono de Marte a Plutão.