É para fora que nos viramos este fim de semana à procura de ecos para os nossos sentimentos e desejo de inovar, sair da rotina, encontrar novos valores aos quais dar valor, tentando materializar o ensejo de novos rumos. Mas o sucesso desta aventura depende do trabalho interior que formos fazendo. Tanto sábado como domingo a Lua está em Aquário, regida por Saturno em Capricórnio e Urano em Touro conjunto ao Sol, símbolos claros de que é através do que é palpável, do que se organiza ou inova que podemos pensar em abrir-nos ao mundo. A dificuldade está em equilibrar o sentido de urgência em seguir em frente, impulsionado por Vénus e Mercúrio em Carneiro em aspecto à Lua, com a necessidade de interiorizar todos os desenvolvimentos dos últimos meses com Saturno respectivamente estacionário e retrógrado até  Setembro/Outubro. De facto, a única coisa que podemos fazer até lá é terminar o que está pendente, usufruir do que fizemos ou  planear passos seguintes, com atenção a não exagerarmos mesmo se puxados para isso pela oposição de Marte a Jupiter, de Gémeos para Sagitário: tanto em casa como na política não podemos prometer mais do que o que de facto podemos dar e a quadratura de Marte a Neptuno tinge de fantasia e ideologia todos os discursos enquanto o Nódulo Norte em Caranguejo apela tanto à segurança emocional como aos nacionalismos. É preciso mesmo reflectir antes de agir ou votar…