O optimismo deste fim-de-semana só é justificável se levarmos até às últimas consequências a vontade de fazer mudanças profundas na ordem de vida em que estamos instalados. Caso contrário, é mera ilusão e fonte de conflito. Tanto sábado como domingo, com o Sol em Caranguejo oposto a Plutão em Capricórnio, temos de ir ao fundo das questões para eliminar material e psiquicamente lixos e compulsões que não têm lugar no futuro. A Lua que rege o Caranguejo está em Sagitário onde nos faz olhar em frente, cheios de ideias e espírito positivo, principalmente porque faz conjunção a Júpiter. No entanto, a sua quadratura a Neptuno em Peixes pode resultar em optimismos não fundamentados e exageros emocionais cuja expressão traz zangas enquanto  a Lua estiver em trígono a Marte em Leão que está em quadratura a Urano em Touro. Este aspecto de tensão é maior no sábado seguindo-se no domingo outro, de outra natureza, quando a Lua fizer qguincúncio ao Nódulo Norte e ao Sol em Caranguejo: será que o nosso entusiasmo contribui realmente para a criação de novas bases de segurança emocional, doméstica, familiar? Estamos a projectar bem a nossa “casa”, “ninho”,  espaço de conforto instintivo? Se não, haverá tensões e correcções a fazer. Aproximamo-nos de um eclipse parcial da Lua na próximas terça feira, a 24 graus de Capricórnio, conjunto a Plutão e é para essa nova ordem, com ambição reformulada,  que nos estamos a preparar já desde este fim-de-semana.