É um fim de semana de festa mas em que não podemos esquecer os´ limites saudáveis a respeitar. Tanto no sábado como no domingo a Lua está em Gémeos num estímulo aos contactos, viagem, encontros, abertura a várias opções, o que é amplificado por sextis ao Sol e a Marte em Leão, oposição a Júpiter em Sagitário e quadratura a Neptuno em Peixes. Tudo parece possível ou melhor, nada parece impossível já que o discenimento fica toldado em particular no domingo pelos aspectos da Lua a Júpiter e a Neptuno. Com o Sol, Marte e Vénus- esta a partir da madrugada de domingo- em Leão, queremos brilhar, queremos ser vistos ou reconhecidos pelo que valemos e o sesquiquadrado de Vénus e o trígono de Marte a Júpiter em simultâneo com o trigono do Sol a Quiron em Carneiro são uma festa dos sentidos e da acção que não devemos no entanto deixar que saía de controlo. Usar o poder e os sentidos sem ir atrás de impulsos narcísicos é o grande desafio deste fim-de-semana em que o que é possível é a festa do Amor em que damos e recebemos e por isso nos sentimos em casa, mas a seguir um novo rumo, cumprindo o trígono de Neptuno ao Nódulo Norte em Caranguejo e a oposição deste a Saturno.