A grande diferença entre Sábado e Domingo é que no Sábado estamos ainda, sob o impacto da Lua Nova, muito focados nos detalhes do que é preciso fazer para inovar métodos, análises, serviços ou organização de fim-de-férias, enquanto no domingo as atenções se viram para a equilíbrio das relações, com a mudança da Lua de Virgem para Balança, da regência de Mercúrio para a regência de Vénus. Mas acontece que Mercúrio, Sol, Vénus e Marte estão em Virgem, regidos por Mercúrio, tudo em trígono a Urano em Touro,  o que exige uma expressão nova, diferente, do que queremos materializar. a Lua no Sábado, ainda em Virgem, faz trígono a Plutão em Capricórnio o que nos traz os resultados positivos do que temos vindo a trabalhar desde a véspera, na Lua Nova de Sexta-feira. É talvez por causa da satisfação de ter conseguido arrumar certos assuntos no Sábado que no Domingo passamos o foco para os relacionamentos e para o serviço das relações. Será que aquilo que quisemos inovar tem bons ecos? A questão levanta-se com o quincúncio da Lua a Urano e complica-se pelo final do dia de domingo quando faz quadratura a Saturno em Capricórnio e resfriam os ânimos dadas as responsabilidades e limites que se erguem e se avizinham prolongar logo no arranque da semana quando segunda feira a Lua fizer quadratura a Plutão. O que importa é que estamos a ter informações e a tomar consciência do que é que do passado deve ficar para o futuro e onde é preciso ir mais longe e fazer diferente. Vénus vai estar durante toda a próxima semana em sextil ao Nódulo Norte e em trígono ao Nódulo Sul o que nos dá a oportunidade de trabalhar para o futuro, para conquistar uma nova segurança emocional ou doméstica ou familiar. Com Vénus em Virgem somos capazes de analisar em profundidade o que nos toca, o que vale ou não a pena e quem vale ou não guardar como relação. Será bem esclarecidos que faremos opções.