Na madrugada desta segunda-feira a Lua conjunta ao Sol em Escorpião, oposta a Urano em Touro, marcou o início de um ciclo lunar cujo propósito é o de nos elevarmos acima das circunstâncias, dependências, compulsões e controlarmos o processo de transformação apostados em valores novos, hábitos novos, uma nova inteligência sobre como e onde nos devemos investir. Algo acabou e agora há que semear uma nova fase.

No entanto, apesar de estarmos num arranque de ciclo, o movimento, acções ou determinação (em provocar as alterações necessárias nas relações e acordos para passara um novo patamar de entendimento,) sofrem com bloqueios, limites ou regras que  restringem  as iniciativas.  Marte em Balança está quadrado a Saturno em Capricórnio o que obriga a passos cuidados para evitar muros inultrapassáveis e contornar as regras. É preciso também aqui  inovar, de forma inspirada, graças ao quincúncio a Neptuno que está em sextil a Saturno e Plutão. Ou seja, para que haja progresso tem recomeçar por haver fé ou inspiração. Só assim conseguimos agir porque estaremos passionalmente envolvidos nos processos de mudança (Vénus e Mercúrio em Escorpião em sextil a Plutão)- que passam por sermos capazes de cortar ou refazer relações apesar das regras ou limites predefinidos- quadratura de Marte a Saturno..

É uma Lua Nova em que só o médio prazo trará progressos visíveis e para os quais é preciso trabalhar desde já. O passado caiu mas o futuro demora tempo e é esforço construir. Nesta Lua Nova de Escorpião podemos entender que não controlamos o que se desmorona à nossa volta, só podemos controlar as nossas próprias emoções e vontade de evoluir.