Estamos a chegar à Lua Cheia em Touro e a um momento de verdade sobre o que vale a pena guardar do passado e como fazer diferente no futuro. Tudo isto envolve não só nós próprios como as nossas relações com os outros, em particular do foro material mas também a reflexão sobre os valores que devem presidir a essas relações pessoais ou financeiras ou mesmo políticas.  A Lua Cheia é amanhã, terça feira mas entra já hoje no signo de Touro onde faz pela manhã conjunção a Urano seguida de um sextil ao Nódulo Norte em Caranguejo. Isto dá o tom para a oposição na terça feira ao Sol conjunto a Mercúrio desde hoje em Escorpião. Inovar e seguir em frente na verdade dos sentimentos para atingir um novo patamar de segurança emocional é obrigatório face às surpresas, custos, rupturas ou conflito entre o que seria esperado e as perturbações que surgem repentinamente, dada a conjunção da Lua a Urano em Touro e sextil ao Nódulo Norte em Caranguejo.  Rever toda a lógica de poder na partilha de bens ou situações de empréstimos ou divisão de controlos em casa, no trabalho ou na política é a outra condicionante do dia que perdura até à Lua Cheia de amanhã, dada a conjunção de Mercúrio retrogrado e do Sol em Escorpião, em sextil a Saturno e a Plutão em Capricórnio, aspecto que nos traz oportunidades para re-organizarmos a vida e as estruturas de que dependemos de forma mais racional, numa perspectiva de futuro. Nada disto é pacato: os aspectos da Lua criam tensão nervosa e os de Sol/Mercúrio levamos ao fundo das questões, forçados a tocar nas sombras para as iluminaram novos propósitos. Não podemos perder a cabeça fria e perseverar na re-definição de relações verdadeiras com os outros, pelo nossa parte e pelo que recebemos em troca, dado o sextil de Marte em Balança a Júpiter em Sagitário. A agenda é carregada mas pode ser cumprida com pragmatismo e sem medo das mudanças de rumo.

Pintura de Alexandro Xul em Arsgravis

j