Hoje desejamos mais do que o que temos – o que nos leva a procurar soluções de investimento pessoal ou de conhecimento ou financeiro e a continuar a repensar as estratégias de partilha e de poder descobrindo oportunidades para preparar as mudanças de fundo que esperamos concluir em Janeiro próximo. É a Lua em Gémeos oposta a Vénus em Sagitário que polariza por um lado o desejo de satisfazer opções múltiplas e talvez mesmo contraditórias e por outro o empenho num só caminho, o da expansão, da Verdade, da Sabedoria, de desenvolvimento a todos os níveis. A quadratura de Vénus a Neptuno em Peixes complica ainda mais a percepção  do desejo mas o sonho não deixa de ser necessário porque sem ele não saberíamos a que dar forma com o sextil de Saturno em Capricórnio a Neptuno.  O que está mesmo em causa é a capacidade de aproveitar as oportunidades de reforma da nossa ordem de vida – com o Sol em Escorpião em sextil a Plutão em Capricórnio e o modo como corrigimos lógicas e estruturas desajustadas graças a Mercúrio retrógrado também em Escorpião  em sextil a Saturno, tal como Plutão, em Capricórnio. A maior dificuldade é a da resolução do quincúncio da Lua a Mercúrio retrógrado que traz tensão entre pensar o que é preciso controlar e tudo o que pensamos ser preciso…É que há muito a resolver antes que Saturno e Plutão fiquem conjuntos em Janeiro de 2020 e toda uma nova era se desenrole na área de vida simbolizada pela casa do horóscopo onde tivermos Capricórnio.

Imagem de página do diário de Frida Kahlo