Hoje é o Equinócio. No horóscopo do ingresso do Sol em Carneiro, temos o retrato, para Portugal, a partir da capital,  de um país responsável, contido, uma imagem de limites, restrições, regras, com Saturno conjunto ao Ascendente em Capricórnio, regente deste e da casa XII onde se encontram também conjuntos, Marte, Júpiter e Plutão. É uma combinação explosiva na casa tradicionalmente associada aos inimigos escondidos, hospitais e lugares de retiro, assim como no nosso próprio recolhimento e re-avaliação de vida, antes de podermos renascer no Ascendente.

Renascemos neste Equinócio com regras obrigações, disciplina e sentido de responsabilidade para o futuro com Saturno nesse Ascendente em quadratura a Urano em Touro na casa III mas sextil ao Sol e a Quíron em Carneiro na casa 2. Uma leitura destes aspectos focada na situação actual  mostra bem, pelo aspecto de Saturno a Urano, os limites à circulação, comunicação e a necessidade de encontrar formas originais de relacionamento com a “vizinhança”.

Renascemos também para o oportunidade de nos lançarmos neste novo ciclo com novos valores que nos façam ultrapassar a frustração do que não fizemos ou fazemos, graças ao sextil de Saturno a Sol e Quíron.

Há uma solidão que pesa, com a Lua em Aquário na casa I em quadratura a Vénus no final da casa III. Mas essa Vénus, tão próxima da cúspide da casa IV que representa a casa, o ninho, o país,  diz-nos que é em casa que estamos bem e encontramos alívio da tensão provocada pelos planetas na XII, as ameaças escondidas, os vírus e os medos que, pelo trígono a Vénus em Touro, sossegam na solidez do lar ou da nação.

Procuramos e servimos a saúde e quem pudermos ajudar principalmente da familia com o Nódulo lunar em Caranguejo na casa VI e é isso que devemos projectar como imagem com a Lua seu regente em Aquário na casa I.

Face a uma situação em que tudo o que seria do âmbito da acçâo externa e projecção colectiva (casa X e casa XI, regidas por Marte, Plutão e Júpiter -morte, renascimento e expansão  global) – se joga na casa XII em Capricórnio temos de interiorizar todos os desafios e ameaças e encontrar na universalidade de Peixes -que é o “dono” da casa XII – o que a todos nos une neste processo que exige responsabilidades simultaneamente individuais e colectivas.

Mercurio na casa I, regente da V e da VIII, em sextil a Urano na III é o grande incentivo à criatividade para renascermos das cinzas. Aproveitemos assim bem o tempo de reclusão com ideias luminosas e a sua expressão inteligente que podemos por ao serviço dos outros pelo trígono de Mercúrio ao Nódulo Norte na casa VI. Pode ser a melhor maneira -ou talvez a única de ultrapassar todos os limites que se nos erguem.

Imagem: O Labirinto da Morte e Renascimento por Tony Christie