Energia para a Semana 11-18/10/20-XVIII A LUA

Por Clara Days:

Palavras-chave: emoção; intuição; sonho; compreensão.

Deixemos a luz da Lua iluminar a noite que mora em nós. É tempo de encarar os medos e os anseios, as vergonhas, os receios, os lugares sombrios que trazemos dentro e que tentamos quase sempre não reconhecer. Tempo de viver o que temos de mais íntimo e profundo, de dar ao sonho a mesma importância que damos à consciência.

Somos feitos de luz e sombra, cada uma define a outra. Deixemos então a luz suave da Lua entrar nas nossas sombras, mostrar-lhes os contornos, os detalhes, o que até agora foi inconfessável.

Olhemos para dentro, foquemo-nos em nós, vencendo as barreiras conscientes que temos erguido em torno do que é mais íntimo e frágil.

É certo que dói. Se não doesse, não nos teríamos dado ao trabalho de erguer os muros… Mas a dor de alma só se ultrapassa se olharmos para ela de frente e a procurarmos entender, se aceitarmos que é preciso ir à procura da origem, da raiz, do passado que ficou mal resolvido.

A Lua pede que oiçamos a intuição e os recados dos sonhos, do nosso inconsciente. A verdade é que a criança assustada que já fomos mora inteira, dentro de nós. Tem medo do escuro, do papão, de não ser amada. Será que podemos ir acarinhá-la? Será que sabemos dar-lhe confiança? Esse é o maior desafio: reconhecer a nossa maior fragilidade, para tentar fortalecê-la. Dir-me-ão: andei uma vida inteira a procurar esquecer, para quê ir lá, rebuscar na memória? E eu respondo que só os fortes têm a coragem de enfrentar o medo. Nada do que possa ter sido construído sobre o que temos de mais frágil pode resistir aos abalos do tempo. A Lua chama-nos agora para ir até lá, à fragilidade, à dor profunda, porque só se a compreendermos poderemos vir a aceitá-la, quiçá resolvê-la.

Com a ajuda da Lua, aprendamos a amar-nos com um amor assim:

“Desvenda-me o teu lado mauzão

O túnel secreto, a loja de horrores

A arca escondida debaixo do chão

Com poeira de sonhos e ruínas de amor

Eu hei de te amar por esse lado escuro

Com lados felizes eu já não me iludo

Se resistir à treva é um amor seguro

A prova de bala, à prova de tudo”

(poema de Carlos Tê na canção “Lado Lunar”, de Rui Veloso)

Imagem : Tarot The Field, de Hannah Elizabeth Fofana, 2020

Clara Days

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: