De 8 a 15 de Novembro: Revisão final antes da Lua Nova

Esta semana pede muita atenção, paciência e sentido prático. No próximo domingo dia 15, temos a Lua Nova de Escorpião, no mesmo dia em que o seu regente Marte entra directo- está retrógrado desde 10 de Setembro!!!

Uma Lua Nova em Escorpião é a definição exacta de um novo começo, de uma regeneração vinda das profundezas, do assumir das rédeas do que queremos mudar. E vamos conseguir tudo isto porque Marte, o planeta da acção, da vontade, da afirmação, ao ficar directo em Carneiro vai voltar a ter o Fogo necessário para que possamos “fazer acontecer”.

É por isso para esse novo capítulo, para esse “reset” que caminhamos esta semana, toda ela a anunciar essa profunda alteração da ordem das coisas, com o Sol, até à Lua Nova, em sextil à conjunção de Júpiter e Plutão em Capricórnio e trígono a Neptuno em Peixes.

De facto é essa conjunção que domina a semana, o planeta da expansão, da verdade, do conhecimento aliado ao planeta que na sua expressão mais positiva representa a possibilidade de mudança profunda, de renascimento e na sua expressão mais negativa revela a obsessão, o desejo sem fim de poder e capacidade brutal de destruição. Ambos em Capricórnio forçam a mudança na ordem da sociedade, na política, na organização de vida individual e colectiva. Estamos confinados e somos forçados e re-organizar o quotidiano por força de forças maiores, Biden ganha e Trump resiste… etc.. os exemplos são imensos… O Sol em Escorpião em sextil a Júpiter e Plutão simboliza a nossa energia vital a confrontar-se com essa necessidade de revisão do poder que detemos mas, com Marte retrógrado não podemos nem avançar nem contestar.

Trata-se assim de uma semana em que o ajustamento tem de ser ainda interior. Temos de rever vontades, impulsos, o que queremos e podemos, projectando como vamos conseguir que a força e as emoções estejam alinhadas com o ideal que nos suscitar Neptuno em Peixes, dentro do quadro de oportunidades que nos são dadas pelo processo de transformação estrutural social, politico, organizacional, financeiro, determinado pela conjunção de Júpiter a Plutão. É de notar que Plutão e Júpiter estão conjuntos exactamente no mesmo grau em que Saturno e Plutão se uniram em Janeiro, data de inicio da pandemia e da reorganização colectiva que ainda está em curso, apesar de ter abrandado durante o Verão, enquanto Jupiter, Saturno e Plutão estiveram retrógrados.

Em finais de Dezembro, Júpiter e Saturno já estarão em Aquário, a preparar o terreno para a entrada de Plutão nesse signo e grande final da ordem e equilíbrio de poderes em que vivemos desde a ultima conjunção de Saturno e Plutão em Balança em 1982. Estamos a viver vários finais de vários aspectos da nossa vida pessoal e colectiva e Jupiter conjunto a Plutão amplifica essa transformação a que podemos resistir, ficando presos ao passado ou aderir aceitando os novos valores que Urano regente do Aquário, em trânsito em Touro exige.

Vénus está esta semana e até 18 de Novembro em Balança, numa tensão crescente de quadratura aos planetas em Capricórnio, sinal de que o equilíbrio de relações vai ter de ser alterado. Podemos não querer conflito mas as coisas não ficam como eram e nesta segunda-feira- dia em que Trumpoapresneta aostribunais as suas queixas sobre justiça da eleição, Marte faz oposição exacta a Vénus que no domingo que vem, na Lua Nova estará em quadratura exacta a Plutão. Atenção por isso a sentimentos muito intensos nas relações pessoais, jurídicas ou políticas porque tudo se complica para além do nosso controlo- só podemos mesmo controlar as nossas emoções…e com esforço… para nos ajustarmos ao que a força das circunstâncias trouxer.

Mercúrio sai de Balança e entra em Escorpião na quarta feira, a caminho de uma oposição a Urano no dia 18, mas já em orbita de influência na Lua Nova. Com Mercúrio em Escorpião os diálogos vêm carregados de intensidade e toda a lógica se torna uma lógica de poder que vai sofrer todos os abalos necessário à sua reformulação nessa oposição a Urano. Atenção por isso também aos excessos verbais e manipulação da informação que não vão aguentar o confronto libertador de Urano.

Terça e quarta a Lua em Virgem pede atenção aos detalhes, cuidados de saúde e de serviço e que não abusemos do sentido crítico. Quinta e sexta a Lua em Balança faz-nos olhar para a importância do equilíbrio das relações porque sentimos na pele como tudo está a mudar e como vamos ter de rever a justiça entre o que damos e recebemos. Sábado e domingo, com a Lua já em Escorpião a caminho da conjunção ao Sol no dia em que Marte entra directo, é sobre nós próprios que devemos exercer o controlo necessário para passarmos à próximo fase desta metamorfose pessoal e colectiva em plena consciência e responsabilidade. Para isso, daqui até lá, a retrogradação de Marte pede que revejamos pela última vez o que de facto nos move. A chave está em equilibrar a vontade pessoal com a responsabilidade colectiva com Marte em quadraturas várias a Saturno até Janeiro que não vão deixar ir atrás do desejo cego… Os Trumps deste mundo, como maior ou menor resistência, tão tendo os dias contados…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: