Desejamos uma coisa e o seu oposto, As emoções tingem a comunicação, Falamos inconsequentemente. Os preconceitos sobrepõe-se à razão.  Em véspera de eclipse -e com Urano a entrar directo-, a Lua de hoje, em Gémeos, em oposição a Mercúrio, é indicadora de polaridades apenas resolúveis se nos concentramos, com curiosidade, no que os outros têm de diferente e que nos abra novas portas de conhecimento.  O objectivo é, no entanto, encontrar terreno comum depois de se identificar os pontos de tensão, ou de dor, entre a forma como devemos organizar a médio e longo prazo as nossas relações pessoais ou financeiras, com os limites que isto implica, e a pulsão de partilha total e dissolução  sem medos de rejeição ou mau investimento.

O aspecto que estimula, hoje e amanhã, esta busca de concertação de objectivos é a semi-quadratura de Vénus em Capricórnio a Quiron em Peixes, Há que, através da comunicação estimulada pela Lua em Gémeos e da discussão de ideiais pela oposição a Mercúrio em Sagitário, descobrir o motivo pelo qual não encontramos satifisfação e limitar conscientemente as areas de aflição, estruturando a nossa ilusão e controlando as causas externas, com o aspecto de Vénus a Quiron. As consequências implicam novas liberdades, assinaladas pelo sêxtil da Lua e trígono de Mercúrio ao planeta Urano. De facto, esperar o inesperado é o moto que nos traz a partir de hoje a entrada em directo de Urano em Carneiro. O planeta das revoluções, da inovação e da rebeldia em cada um de nós empurra-nos, em Carneiro, para tomarmos as rédeas do destino, doa a quem doer. A nivel pessoal, social, político a mudança acelerada e radical é inevitável.

É neste quadro que hoje e amanhã se reunem os Chefes de Estado e Governo dos 27 países da União Europeia. A  Lua em Gémeos polariza os sentimentos profundos e as diferentes sensibilidades nacionais e pode mesmo fazer desta uma cimeira bicéfala, dividida entre os países do Euro e os que não partilham a moeda e ainda dentro de ambas as partes, outras divisões de interesses. A oposição da Lua a Mercúrio em Sagitário provoca divisão entre a comunicação dos ideiais de futuro e as carências nacionais. E a semi-quadratura de Vénus em Capricornio a Quiron em Peixes, simboliza bem  como a restruturação financeira  da dívida é uma ambição a longo prazo cujo calcúlo se choca com os fundamentos de uma união política solidária e abrangente.  O Sol ainda conjunto ao Nódulo Lunar Norte em Sagitário impõe que as forças políticas , apesar do conflito de detalhe com a quadratura a Marte em Virgem, se fixem numa solução ideal para o futuro.  Como pano de fundo está Plutão em Capricórnio a exigir a renovação radical da organização das dívidas e das finanças comuns e Urano a entrar directo a 0 graus de Carneiro estimulando as rupturas e outros actos unilaterais de libertação de circunstâncias ou acordos que não servem mais os propósitos.

As circunstâncias do eclipse de amanhã sobre esta cimeira estão ja descritas no artigo deste blog ” Os astros em Dezembro na crise do euro”.