…..Parte I…..

…. Parte II…..

Qual vai ser a curto e médio prazo o impacto dos planetas nas estruturas políticas de Portugal? Depois do exercício de análise dos trânsitos no horóscopo da República, temos definido o quadro temporal em que se processarão as grandes transformações do regime. Se contarmos com as várias influências de Plutão – que destrói as estruturas de poder e depois permite a criação de novas – sejam elas administrativas, políticas ou financeiras, Urano que acelera a mudança e Saturno que obriga a reorganizar as diferentes estruturas em que assenta o poder, desde a constituição, aos ministérios e leis gerais, temos uma crise profunda de morte e renascimento que nas suas múltiplas facetas se arrasta de Outubro de 2012 até Novembro de 2014.

A curto prazo no horóscopo da República

No espaço destes dois anos 2012/2014, o tempo mais critíco corresponderá à quadratura de Plutão e à oposição de Urano ao Sol da República, em particular quando ambos estiverem – entre si também- em quadratura exacta  – isto  acontece já entre o 25 de Abril  e o dia 8 de Junho de 2013.  O dia mais exacto do aspecto é o dia 21 de Maio, mas é óbvio que temos de considerar orbes mais largos, dada a complexidade dos aspectos.

Outros sinais da volatilidade política deste período são a série de eclipses que afectam este horóscopo. O primeiro é da Lua no dia 25 de Abril, conjunto à Lua natal e oposto a Saturno. Não vão faltar manifestações e contestação para exprimir o descontentamento mas pode também haver novos acordos internacionais.

De seguida, no dia 10 de Maio há um eclipse do Sol conjunto ao Nódulo Norte na casa VII, ou seja, uma manifestação especial por parte de algum dos parceiros políticos – casa VII- que em sextil a Neptuno na IX e a Urano na III vai agitar idealismos e contestação – fazem-se ou desfazem-se acordos políticos ou financeiros.

De seguida, temos o abalo ao regime – tal como tem sido até agora definido -, pelas  duas frentes de Plutão e Urano, no dia 21 de Maio.  Segues-se no dia 25 de Maio, novo eclipse da Lua em quincúncio a Saturno que ilustra inconsistências e exige responsabilidades.

Na segunda e terceira semana de Junho, Júpiter em trânsito conjunto a Plutão natal na VIII e quadrado a Vénus na XI pode trazer uma expansão de novidades ou crises financeiras, buracos orçamentais ou de relações políticas. Marte conjunto a esse mesmo Plutão e quadrado a Vénus na primeira e segunda semana de Julho tem um potencial brutal de mudanças visíveis, ao mesmo tempo que Júpiter em trígono à Lua traz a esperança que algo de melhor esteja para acontecer. A Lua representa o povo e este aspecto traz força a manifestações populares.

É preciso depois esperar pelo dia 24 de Setembro para que, com Plutão directo, continue o processo de transformação profunda da República aberto na Primavera de 2013. A quadratura de Urano a Plutão atinge Sol e Marte do horóscopo da República e Outubro e Novembro trarão certamente mudanças no regime.

Reflexos no horóscopo do Governo de Passos Coelho

É preciso olhar para o horóscopo do governo de Passos Coelho para ver como é que se insere no quadro da República e das aspectos acima descritos. ( Veja aqui artigo de 2011 com carta astral e anáilise do governo PSD/CDS)

A  primeira coisa que salta à vista é a conjunção do Sol do Governo com o Plutão da República. Desejo de transformação compulsiva, dependência da dividas, questões de controlo de poder,- não podia ser mais intenso este aspecto em que Mercúrio é chave já que rege o Sol do Governo em Gémeos onde se encontra Plutão.  Mercúrio rege e está enfraquecido no céu do Governo e está em quadrado a Plutão no céu da República, reforçando as dificuldades de comunicação actuais, censura do passado e apertos financeiros constantes já que Mercúrio rege também a circulação de moeda. A relação intensa e transformadora deste governo com a República faz com que morra um para que se estruture o outro, mais ainda porque Saturno do Governo em Balança está conjunto ao Sol da República.  Ou seja, este governo vai acabar com o regime constitucional tal como o conhecemos e criar as bases para outro e extingue-se no processo. 

Em simultâneo, Saturno da República na cúspide da VII em Touro está conjunto ao Júpiter do Governo na VIII que indica como as necessidades permanentes de contar com parceiros poderosos que garantam comércio  e riqueza nacional- Saturno rege a III e a IV, são no fundo a força estruturante do apoio bancário externo à expansão interna-  Júpiter na VIII, regente da IV.

Seria possível continuar a elaborar sobre a sinastria deste dois horóscopos mas estavamos a olhar para como os trânsitos transformadores do céu da República se reflectem no horóscopo do Governo de Passos Coelho. Assim, a partir do 25 de Abril de 2013 até Março de 2014, Saturno do horóscopo do Governo, na II, simbolizando os apertos financeiros e dificuldades de crescimento económico nacionais vai estar sujeito à quadratura de Urano a Plutão que força as transformações estruturais num ponto extremo por volta de 20 de Maio.

Semanas antes, no momento do eclipse de 25 de Abril, também Urano em trânsito vai estar oposto ao Mercúrio regente do horóscopo do Governo o que trará no mínimo surpresas no discurso político mais ainda porque o eclipse é oposto a Júpiter, regente das parcerias políticas sindicais, nacionais e internacionais.  O eclipse de 10 de Maio a cair na casa IX em Touro  foca acordos financeiros internacionais UE, troika etc, e o eclipse de 25 de Maio, conjunto ao descendente marca nova encruzilhada com a oposição interna que também coincide com os efeitos no eclipse no horóscopo da república que, em quincúncio a Saturno,  ilustra inconsistências e exige responsabilidades.

Para bem ou para o mal, em meados de Junho, Júpiter conjunto ao Sol do Governo traz benefícios financeiros e potencial de expansão.  Os dados ficam lançados até Setembro quando Plutão entrar directo,  depois de vermos quais serão os resultados da  conjunção de Marte ao Sol do Governo na segunda semana de Julho e o quadrado exacto de Plutão a Saturno em mais uma etapa de crise de força de transformação.

É preciso estar atento ao que se passa no Euro e nos horóscopos da construção europeia já que todas as quadraturas de Urano a Plutão e outros trânsitos que afectam tanto o horóscopo da República como o do Goveno estão também reflectidos aí  (VER ARTIGO) . Plutão vai estar conjunto ao Sol do Euro e das adesões múltiplas e Urano em quadratura. É a transformação da fiscalidade e estrutura das dívidas europeias regidas por Plutão que pode ser o catalizador desta mudança de regime constitucional e político em Portugal- mais integração, menos soberania, e no final maior exigência de defesa das raízes nacionais ou a saída do Euro?

Anúncios