Nos sites oficiais do BES  ou do Grupo Espírito Santo podemos ver resumos da sua história cronológica, os tempos de relevo no desenvolvimento da actividade do banco.

O exercício que se segue é o de tentar identificar os trânsitos planetários activados no horóscopo do BES na altura em que se deram esses acontecimentos marcantes. O texto de cronologia seguinte é uma compilação de dois textos on line acima referidos. Quanto às anotações sobre os trânsitos- em bold- é de notar como Plutão, símbolo do poder financeiro, créditos e endividamentos, Saturno, símbolo da estrutura de poder, Júpiter, símbolo da expansão da banca, Vénus símbolo do dinheiro, Mercúrio, símbolo das trocas comerciais e o Sol, símbolo de quem dirige, assim como os ângulos do horóscopo -o Ascendente- a imagem externa, o Descendente- os parceiros e questões legais, o Meio-do Céu- acção e projecção e o Fundo do Céu, a base de partida, estão sempre envolvidos nos momentos chave.

História do Banco Espírito Santo

“O Banco Espírito Santo (BES) tem origem na actividade de José Maria do Espírito Santo e Silva (Lisboa, 1850-1915) que em 1869 exerce diversas operações financeiras na sua “Caza de Cambio” situada na Calçada do Combro, nº 91. A partir de 1884, e sempre como sócio maioritário, funda sucessivamente várias casas bancárias: Beirão, Silva Pinto & Cª., (1884-1897), Silva, Beirão, Pinto & Cª. (1897-1911), J. M. Espírito Santo Silva (1911) e J. M. Espírito Santo Silva & Cª. (1911-1915).

Falecido o sócio principal, a 23 de Dezembro de 1916 a firma dissolve-se para ceder lugar à Casa Bancária Espírito Santo Silva & Cª., gerida pelo filho José Ribeiro Espírito Santo e Silva que, a 9 de Abril de 1920, transforma a Casa Bancária em Banco. No mesmo dia é inaugurada a agência de Torres Vedras, primeiro passo de uma estratégia delineada com o objectivo de “levar cada vez mais perto dos clientes os serviços bancários”.

O horóscopo do BES é traçado para o dia 9 de Abril de 1920 e por ajustes chega-se á hora provável das 12.15pm para a assinatura notarial. O Sol em Carneiro na X e Ascendente em Caranguejo reflectem a capacidade de iniciativa e lado privado e familiar do Banco assim como Plutão na casa XII traduz bem a sucessão de casas bancárias lançadas pelo fundador J.M E.S.antes da sua morte que antecedeu a criação do banco já sob a direção do filho J.R.E.S.

“Na década de 20, não obstante as convulsões políticas, económicas e sociais, que conduzem alguns Bancos à falência, o BES reforça a sua posição no contexto da banca nacional, e em 1926 integra já o grupo das cinco maiores instituições bancárias privadas.”

Júpiter que simboliza a expansão da banca está em 1926 em trânsito em Aquário na casa VIII, alargando poder e riquezas na espera colectiva, ao mesmo tempo que Urano está conjunto a Vénus no Meio do Céu abrindo novos caminhos financeiros e Plutão, símbolo do poder político e financeiro, da especulação e do sentido última do BES – porque o seu Nódulo Norte está em Escorpião na casa V, –  passa em trânsito o Ascendente trazendo um reforço de poder á imagem externa do banco.

“Em 1932, com o novo modelo de gestão implementado por Ricardo Ribeiro Espírito Santo e Silva, eleito nesse mesmo ano para a Presidência do Conselho de Administração, inicia-se uma fase de consolidação e expansão da empresa que em 1936 assume-se na liderança da banca privada nacional.”

Em 1932 Plutão na casa do Ascendente, em trânsito, está em trígono a Mercúrio o que permite um bem sucedido reforço de poder na gestão enquanto Júpiter faz trígono ao Sol, beneficiando um novo presidente simbolizado pelo Sol depois de este ter uma conjunção de Urano. De seguida, Júpiter faz conjunção a Saturno  sextil a Plutão e a Marte o que garante a expansão da empresa. Em 1936 Plutão faz trígono a Vénus e isto significa claramente a liderança financeira deste banco. 

“Em 1937 o BES funde-se com o Banco Comercial de Lisboa (instituição criada em 1875), dando origem ao Banco Espírito Santo e Comercial de Lisboa (BESCL).”

Esta fusão dá-se com Júpiter na casa VII dos parceiros- alargando poder através de parcerias bancárias, Plutão ainda trígono a Vénus a dar maior força através da interdependência financeira e Saturno na cúspide da casa X, conjunto a Vénus trazendo poderes e responsabilidades acrescidas na gestão  ou administração financeira.

“Em 1955 Manuel Ribeiro Espírito Santo Silva, por falecimento do irmão Ricardo Espírito Santo, ocorrido a 2 de Fevereiro desse ano, assume o lugar de Presidente do Conselho de Administração.”

Marte está conjunto ao Sol no falecimento de R.E.S.S. e trígono à Lua regente do Ascendente simbolizando novo poder familiar quando M.R.E.S.S. assume a presidencia trazendo novo fulgor ao banco com Júpiter na casa I em trígono a Vénus. Também nesse ano Saturno está conjunto ao Nódulo Norte em Escorpião e redefine-se certamente a identidade do banco sob a nova gestão o que é reforçado pelo trânsito de Plutão em quincúncio a Vénus que mostra o que tem de ser mudado e abre oportunidades para tal. É também neste ano que a família adquire o capital social da Atlantic Company sediada em Jersey, com Urano regente da casa VIII investimento externo e IX , o estrangeiro, em trígono a Vénus o que se traduz na aquisição da Comporta. 

“Nos anos 60 do século XX são disponibilizadas as pioneiras operações denominadas de Crédito Individual (1965), há muito praticadas no estrangeiro e sucessivamente adoptadas pela concorrência de então e são lançados os Cheques de Viagem (1967) numa contínua diversificação da oferta de produtos e captação de clientes.”

No início da década de 60 Plutão está em Virgem o que revoluciona o serviço financeiro em termos globais. No caso específico do BES, Plutão faz conjunção a Saturno logo em 1960 e naturalmente sextil a Marte e a Plutão e oposição a Urano. Estão lançadas as semente do aspecto referido na parte I sobre as qualidades do horóscopo e que representa a activação do potencial de ” Magnate”. Plutão como símbolo do poder dos créditos e das dívidas  dá a partir daqui pleno poder ao BES através da acção junto dos clientes individuais representados pela casa III. Em 1965 Saturno está conjunto a Urano, oposto a si próprio, trígono a Marte e Plutão o que representa um ponto de viragem no poder dos créditos e nas relações institucionais porque Plutão também faz trígono ao Descendente enquanto Júpiter na casa XII expande a acção da banca na sociedade.  Em 1967, com Urano regente das casas VIII e IX das relações com o estrangeiro, em trânsito na III das transações, negócios, em oposição a Mercúrio regente das trocas, dá-se a tradução perfeita destes aspectos que é o lançamento dos cheques de viagem… 

“Na década seguinte, o BESCL internacionaliza os seus interesses: em 1972 é co-fundador do Libra Bank e, no ano seguinte, associado ao First National City Bank of New York funda, em Luanda, o Banco Inter-Unido.”

Nos anos 70 o que acontece astrológicamente é que Plutão, regente do poder da partilha financeira e Urano que simboliza a inovação entram em Balança, signo que rege as relações, acordos pessoais, políticos e financeiros e tudo o que é relacionado com Vénus. No horóscopo do BES já vimos que Urano rege as casas VIII e IX do que é partilhado e das relações com o estrangeiro. Como a Balança é o signo que está na casa IV que é a casa astrológica da base de segurança do BES- que depende assim das relações financeiras, Urano, em trânsito por esta casa traz para a base de segurança a inovação da internacionalização bancária. É de notar que de facto a casa IV do BES contem três signos, primeiro o final de Virgem, na cúspide, de seguida toda a Balança e por fim ainda o arranque de Escorpião. Esta sequência simboliza bem os princípios cambiais do BES, seguidos da sua actividade de acordos bancários e por fim, o que estamos a assistir agora, à necessidade de transformação profunda.

“Em 1973 Manuel Ricardo Espírito Santo Silva ascende ao cargo de Presidente do Conselho de Administração. Pouco tempo depois, o Decreto-Lei Nº 132-A de 14 de Março de 1975 nacionaliza as instituições de crédito nacionais com sede no território.”

É com um trânsito de Urano oposto ao Sol que M.R.E.S.S. assume a liderança do CA mas trata-se de um tempo em que Saturno está a entrar na casa XII o que se traduz num fim de um ciclo. Mesmo assim Júpiter está na casa VIII o que significa que deve ter sido também um tempo de recolha de grandes benefícios relacionados com o estrangeiro ou fundos partilhado, até ao 25 de Abril de 1974 em que Saturno passa o Ascendente o que significa inevitavelmente- seja o horóscopo individual ou de uma instituição ou país, – o início de uma nova fase de vida, imagem, relacionamentos, projecção e bases de segurança. Aliás, as 12 horas e 15 minutos deste horóscopo do BES podem ser ainda mais ajustadas para o Ascendente ser talvez os 11 graus e não os 15 de Caranguejo porque é exactamente a 14 de Março de 1975 que Saturno está a 11 graus e entra retrógrado nesse dia em que a banca é nacionalizado, assim como agora Plutão está oposto ao Ascendente e o banco passa a crise actual.

“Com a nacionalização das instituições bancárias e seguradoras portuguesas em Março de 1975, vários membros da família Espírito Santo, acompanhados por alguns dos seus colaboradores, foram obrigados a refugiar-se no estrangeiro. Estabeleceram-se, inicialmente, no Brasil, Suíça, Reino Unido e Espanha, onde iniciaram ou reconstituíram diferentes linhas de actividade empresarial, que, na maior parte dos casos, se mantém hoje em dia. Nesse mesmo ano, é criada, no Luxemburgo, a ES International Holding (actualmente denominada Espírito Santo International Holding), que hoje em dia se constitui como a Holding mãe do Grupo Espírito Santo.”

Esta partida para o estrangeiro da família ES para aí continuarem a exercer a sua actividade financeira é perfeitamente ilustrada a partir de 1974 com o trânsito de Júpiter- a expansão da actividade bancária, regente da VI -que é o serviço familiar, na casa IX do estrangeiro e na X da projecção. Em Junho de 1975 Júpiter está conjunto ao Sol e Saturno na I em trígono  a Mercúrio e a Vénus o que traduz já uma expansão na adaptação ás novas circunstâncias, com a criação da Holding mãe do GES.

“Com o rápido crescimento e inerente desenvolvimento corporativo que se seguiu, foi decidida a constituição de duas sub-holdings principais: em 1984, a Espírito Santo Financial Holding (actualmente denominada Espírito Santo Financial Group), agrupando os investimentos da área financeira, e, em 1983, a Espírito Santo Resources, controladora dos investimentos em áreas não financeiras.”

Em 1983 e 1984 é Saturno em Escorpião, tal como em 1954 e 1955 que estrutura investimentos e especulação e traz novo fulgor de “Magnate” à actividade do BES , pelos aspectos de sextil a saturno natal e trígono a Plutão natal, acrescido também agora de Júpiter em Escorpião o que simboliza o poder de expansão criativa e especulativa através da regeneração das estruturas existentes. Tudo isto se passa na casa V, que é tradicionalmente a casa dos “filhos” e aqui nascem as sub-holdings….

“Nos anos 80 do século XX, e na sequência da abertura da actividade bancária à iniciativa privada, o Grupo Espírito Santo regressa a Portugal e, em 1986, em parceria com a Caisse Nationale du Crédit Agricole e o apoio de um núcleo de accionistas portugueses, constitui o Banco Internacional de Crédito (BIC). No mesmo ano, forma-se a Espírito Santo Sociedade de Investimento (ESSI), com a participação, entre outras instituições financeiras, da Union de Banques Suisses e do Kredietbank do Luxemburgo.”

O que é extraordinário aqui é que esta abertura à retoma de poder da família ES tem tradução exacta no horóscopo do BES com a chegada de Plutão- o poder financeiro de dívidas e créditos à casa V quando entra em Escorpião e activa o seu renascimento. Em 1985 e 1986 Plutão  faz ainda conjunção a Marte, sextil a Saturno e trígono a Plutão natal, activando depois de Saturno ter aberto o caminho em 83 e 84 o já referido aspecto de ” Magnate” e depois de, no final de 85 Saturno ter feito conjunção ao Nódulo Norte. Saturno reorganizou o sentido de vida do BES e Plutão dá-lhe toda a força para regenerar. Urano em trânsito na VI em Sagitário, trígono ao Sol dá vida e inovação ao BES através da entrada de participações de capital estrangeiro. 

“Em 1989, com a reprivatização da Companhia de Seguros Tranquilidade, e, em 1991, com a reprivatização do Banco Espírito Santo, o Grupo Espírito Santo recomeçou as suas operações em Portugal, investindo nas áreas de banca, seguros, imobiliária, turismo, comunicação e serviços. Em 1989-1990, o GES conta com a participação da PREDICA — sociedade seguradora criada em 1987 pela Caisse Nationale du Crédit Agricole (CNCA) — a Companhia de Seguros Tranquilidade e, em 1990-1991, também em parceria com CNCA, o Banco Espírito Santo. Depois de ter recuperado o Banco, o GES inicia um conjunto de projetos de reorganização administrativa, de modernização tecnológica e informática, melhoria do atendimento e da qualidade do serviço.”

A partir deste momento Plutão passa a simbolizar o Grupo Espírito Santo, GES e Neptuno representa a a sua acção permeadora de todos os sectores. Plutão em trânsito em Escorpião em 1989 faz conjunção exacta ao Nódulo Norte- ponto que Saturno tinha estruturado em 1985 e que agora assume novos poderes de participações financeiras em empresas ” filhas” do grupo em todas as áreas através das quais o grupo regenera a sua actividade. Neptuno, regente da X ou acção e projecção, em simultâneo, entra o Descentente e induz as parcerias. Urano entra em Capricórnio na VI que é a casa do serviço e traz do estrangeiro o capital do Grupo necessário a todos os novos investimentos nessa área, assim como a inovação informática e o esforço de melhoria dos serviços

“O ano de 1991 e 1999 representam dois marcos no percurso da vida do BESCL, respectivamente, o primeiro, com o início da reprivatização que assegura o crescimento sustentado da instituição passando de Banco Universal a Grupo Financeiro Global: Grupo Banco Espírito Santo (Grupo BES) e o segundo, com a alteração da designação da sociedade para Banco Espírito Santo, SA.

A 9 de julho de 1991, realiza-se a primeira fase da operação de venda do BESCL (40% do capital) sendo os restantes 60% comprados no início de 1992. Na segunda fase da reprivatização, o BESCL passa a dispor de 32 mil acionistas e de um grupo liderado pelo GES, ao qual se associa a Caisse nationale du Crédit Agricole, assegurando o crescimento sustentado do Banco no futuro.

Consequentemente, a sua atividade torna-se cada vez mais abrangente (Banca Comercial, Banca de Investimento, Outras Instituições de Crédito, Gestoras de Fundos, Seguros, corretagem, entre outros), passando de Banco universal a Grupo Financeiro Global – Grupo Banco Espírito Santo (Grupo BES).

Em 1992, o BESCL passa a operar no mercado espanhol após a aquisição do Banco Industrial del Mediterráneo – que, posteriormente, altera a designação para BES (Espanha) –, e é criada a ESAF – Espírito Santo Activos Financeiros. Três anos mais tarde, inaugura-se, em Macau, o Banco Espírito Santo do Oriente e em 1998, a Société Bancaire de Paris (mais tarde, Banque Espírito Santo et de la Vénétie).”

A reprivatização do banco em 1991 dá-se com Júpiter em transito conjunto a Júpiter natal, o que se chama uma retorno, –  tal como vai acontecer agora  – e que traz novas entradas de capital próprio porque Júpiter natal está na II conjunto a Neptuno, e com Saturno na VIII oposto a esse Júpiter natal o que simboliza a restruturação dos capitais e um novo ciclo de organização. Neptuno está ainda conjunto ao Descentente a trazer para o BES a abrangência e interação de várias parcerias do grupo, no que se torna a globalização da actividade através desses acordos estruturantes- Capricórnio na cúspide da VII.  Urano que representa a actividade econômica e relações com estrangeiro em trânsito na VI traz não só a inovação tecnológica já referida como leva para fora os serviços do banco.

“Finalmente, por escritura de 6 de julho de 1999, o BESCL adota a designação de Banco Espírito Santo (BES). Um ano depois, consolida os investimentos em Espanha com a aquisição da Benito y Monjardin e da GES Capital enquanto que, nos Estados Unidos da América, adquire o capital do Espírito Santo Bank é direcionada para os clientes da América Latina, em especial, do Brasil.”

Em Maio de 99 Júpiter está conjunto ao Sol do BES abrindo novo ciclo de expansão do nome e valor do banco e em 6 de Julho Saturno faz conjunção exacta ao Nódulo Sul na casa XI o que obriga a estruturar posições passadas, definir a organização face ao mundo e apostar na expansão em novas actividades e parcerias futuras com Júpiter agora em Touro em oposição a Marte o que pode levar a esticar demasiado a corda de actuação…”

“Em Janeiro de 2003, o BES adquire o Bank Espírito Santo Internacional, Limited e inicia-se a fusão das participadas Besleasing Mobiliária, Besleasing Imobiliária e Euroges numa só entidade e a integração da Espírito Santo de Investimento enquanto que, um ano mais tarde, as subsidiárias do BES, Espírito Santo Activos Financeiros e Banco Espírito Santo (Espanha) chegam a acordo para a aquisição da totalidade do capital das unidades de gestão de ativos (Lusogest, SIGIIC e Lusopensiones, SGFP) do Banco Siméon (Grupo Caixa Geral de Depósitos em Espanha).

No mês seguinte, deu-se o lançamento do “BES 360”, o novo conceito de abordagem comercial ao segmento Affluent, ao mesmo tempo que foi concluído o processo de fusão por incorporação das sociedades Euroges, Besleasing Mobiliária e Besaleasing Imobiliária numa nova empresa denominada Besaleasing e Factoring, S.A.”

O interessante neste período é a ilustração destas fusões e incorporações de variadissimas participadas e subsidiárias com Saturno que simboliza a organização em trânsito na XII – a completar processos internos- e a fazer oposição à Lua que rege a família, os trabalhadores das empresas porque está na VI e a imagem grupal do BES  porque este tem Ascendente Caranguejo, regido por essa Lua. Júpiter  em trânsito em Leão na II, por seu lado está trígono ao Sol o que significa mais poderes e entrada de capital e tudo isto com Plutão em trânsito na VI a dar o pano de fundo de reformulação dos serviços e organização do trabalho, em trígono ao Sol em Carneiro, ou seja iniciativas fluídas que trazem nova projecção. 

“Em março de 2004, o BES apresentou o seu primeiro Relatório de Responsabilidade Social e, em junho, procedeu à venda de 15% da participação que detinha na Credibom ao Banque Sofinco.”

Nesse mês Saturno estava conjunto a Plutão e isso representa exactamente apresentar contas acrescido do trânsito de Urano que faz conjunção a si próprio o que abre caminho para a renovação de parcerias, libertado velhas e optando por novas o que acontece em Junho com a venda da Credibom. 

“Em Setembro de 2009 o GES decidiu criar a Rioforte Investments, com sede no Luxemburgo, que agrega a maioria dos activos não financeiros antes controlados pela Espírito Santo Resources. A criação da Rioforte destina-se a facilitar, dinamizar e impulsionar a execução da estratégia definida pelo Grupo e a própria visibilidade internacional do projecto.”

Este propósito de visibilidade internacional tem tradução exacta no trânsito de Urano- regente das actividades com e no estrangeiro, em trânsito na cúspide da X- da acção e projecção e em conjunção  a Vénus que rege a riqueza de base- Balança está englobada na casa IV. Urano faz no entanto quadratura á Lua e aqui devem ter surgido problemas internos , familiares por iso representar um corte qualquer menos apreciado pro sectores tradicionais da família porque a Lua rege o Ascendente e  Saturno em trânsito está a entrar na casa IV o que significa obras de restruturação nas bases de segurança, dificuldades domésticas e o peso do que é a a redefinição do fundamental. Mas o que de fundamental acontece em Setembro de 2009 é a entrada de Plutão em Capricórnio, onde vai ficar até 2025. No caso do BES, Plutão em trânsito em Capricórnio afecta enquanto está em casa VI a estrutura de produção, a forma como se trabalha, os trabalhadores e quando entra em casa VII que é o que se passa agora, afecta os associados, empresas e parceiros que formam o tecido estrutural do Banco.

Não existe mais informação nos sites do BES sobre os principais eventos a partir de 2009.

Veja na Parte III os antecedentes da crise nas notícias e nos trânsitos. 

BES- O retrato no horóscopo- Parte I

BES- A história nos trânsitos- Parte II

BES-Os antecedentes da crise- Parte III

BES- E agora? -Parte IV

 

 

Anúncios