Para tentar entender as correlações possíveis entre os aspectos astrológicos que estão para vir no curto prazo e os potenciais desenvolvimentos da crise do BES há que.
1- perceber o que o cosmos assinala em termos gerais
2- ver o que aconteceu no historial do BES quando os planetas estavam em posições semelhantes e como os trânsitos se encaixam no horóscopo
3- só então tirar algumas conclusões….

Indo assim por partes, vemos que:
Desde 2008/9 com a entrada de Plutão em Capricórnio -que ilustra o poder da dívida a forçar restruturações financeiras- assistimos à crise financeira nos EUA que passou para o resto do mundo, para a crise do Euro, das dívidas soberanas e crise bancária que está a levar a uma reformulação europeia e global das regras do sistema financeiro.

De 2012 a 2015 Urano em trânsito em Carneiro faz sete quadraturas exactas a Plutão em trânsito em Capricórnio. A quinta foi em Abril de 2014 e as duas últimas serão em Novembro deste ano e Janeiro, Fevereiro e Março de 2015. Estas quadraturas representam tempos de crise máxima em que é necessário acabar com velhas dependências, ónus e encargos e estruturar os sistemas em que assenta a dívida. Assim, o sistema financeiro internacional em restruturação desde 2009 vai chegar ao final de 2015 a contar com novos paradigmas de funcionamento, limites legais de endividamento e novas regras de actuação. Para uns isso passa sem dificuldades de ajustamento maior, para outros pode ser mesmo o fim, dependente da flexibilidade e saúde geral das contas. É de lembrar que históricamente a última vez que Urano em Plutão estiveram em quadratura foi nos anos 30 do século XX o que deu cabo do sistema financeiro da época e teve consequências sinistras.

Agora, neste mesmo período em que Urano e Plutão fazem a sua sucessão de quadraturas que abalam os podres do sistema, entre 2012 e 2015, Saturno transita o Escorpião que é o signo que Plutão rege enquanto Plutão transita o Capricórnio que é o signo regido por Saturno. O grande transformador e o grande estruturador estão assim em recepção mútua reforçando em conjunto os objectivos a cumprir: não é possível escapar- a dívida destrói organizações, bancas e países com Plutão em Capricórnio para que seja possível criar novas formas de gestão e novas arquitecturas financeiras com regras novas sobre tudo o que é partilhado, dinheiro, poderes, com limites bem claros de actuação que tenham efeitos a longo prazo- isto é o que pede o Saturno em Escorpião. E Urano vai dando os golpes para que não nos fiquemos por meias tintas-não vai ficar nota por virar nem banca por restruturar no final destes trânsitos.

Há que ter ainda em conta Neptuno em trânsito em Peixes desde meados de 2011 e depois da ultima retrogradação definitivamente em Peixes a partir de Fevereiro de 2012. Neptuno dissolve, dilui, permeabiliza, confunde, ensopa, ilude tudo o que toca. Em Peixes alastra universalmente a sua força devastadora de estruturas rígidas, afoga o que que for demasiado pesado para sobreviver. Neptuno junta-se assim às quadraturas de Urano e Plutão como terceira coluna de poder destruidor das estruturas presas a dívidas inultrapassáveis nos novos paradigmas de sociedade. Já se começam a desenhar os alicerces do que vai ser a nova ordem financeira mas vai se preciso esperar o final das quadraturas de Urano e Plutão e que Saturno acabe o trânsito pelo Sagitário de 2015 a 2017 para que tudo esteja funcional. É que o Sagitário é o signo da banca, regido por Júpiter e o trânsito de Saturno é o que vai restringir e re-ordenar muitas das liberdades que a banca excedeu.

Tudo isto se encaixa no horóscopo do BES e nos aspectos que os trânsitos destes planetas lhe vão fazer.  Quando olhamos para o horóscopo do BES vemos que Plutão o planeta das dívidas está na casa XII do que não é visível e a casa XII é também que nos dá informação sobre o que “antecedeu” o “nascimento”. No caso do BES foi uma sucessão de aberturas e fechos de casas bancárias, talvez na sequência de endividamentos. Plutão oposto à Lua que rege o Ascendente representa uma marca de potencial devastador sobre a imagem do BES devido a dívidas escondidas. Quando Plutão passou o Ascendente nos anos 30, o BES afirmou-se no ciclo financeiro que se seguiu à crise global da época pontuada como vimos acima pela quadratura de Urano a Plutão do século XX. Agora, em nova quadratura de Urano a Plutão no cosmos, Plutão passa o Descendente do horóscopo do BES e vai obrigar a desfazer e reconstruir a estrutura accionista por força da dívida que simboliza. Quando em 2011 Plutão fez conjunção à Lua regente do Ascendente foi o ínício da crise que começa com a revelação e acusação judicial de más práticas do BES nos EUA pela Security and Exchange Commission. De seguida e até agora Plutão depois da oposição a Plutão natal traz em cada toque revelações de dificuldades de financiamento, perdas maiores do que previstas e exposição da divida.

Quanto a Urano, sabemos que Manuel Ricardo Espírito Santo Silva ascende à presidência do conselho de administração do BES quanto esse planeta faz oposição ao Sol do BES e está na órbita de quadratura ao Ascendente e Descendente. Urano está conjunto ao Descendente, oposto ao Ascendente e já na orbita de quadratura ao Sol quando depois da privatização em 1991 Ricardo Salgado assume a Presidência. Em 1975 quando a banca foi nacionalizada é Saturno que simboliza a contração e restruturação que passa o Ascendente e avança para a quadratura ao Sol. Também quando da nacionalização do 25 de Abril é de ver que Neptuno -o que tudo permeia – entra na casa VI dos serviços e dos trabalhadore. Neptuno passa o Descendente em 1991 quando o banco é reprivatizado e está na órbita de quadratura ao Sol quando Ricardo Salgado assume a presidência e se começa a diluir os limites impostos pelas estruturas das nacionalizações. Em 1999/2000 o BES entra num novo ciclo de expansão com Neptuno na casa VIII em oposição a Júpiter e Neptuno natal na II e com Jupiter em trânsito conjunto ao Sol. É a acção difusa de Neptuno a passar pelo Aquário, signo do colectivo e do mundo que a acção do BES se expande ainda mais globalmente, incluindo 2003 em que adquire o BESInternacional e se procedem a mergers, fusões e incorporações tão representativos do que é a casa VIII. Mas Neptuno traz não só fusões como confusões e estas devem ter começado aqui já que Neptuno faz também quadratura a Marte e quincúncio a Plutão tornando difícil delinear estratégias claras e fazendo-se sentir os custos escondidos de todas essas mecânicas financeiras. Quando Neptuno chega a Peixes em Fevereiro de 2012 e faz conjunção a Urano na casa IX – ao mesmo tempo que estão accionados os trânsitos acima descritos de quadraturas de Plutao e Urano e Plutão em trânsito em oposição a Plutão natal,- é como uma onda gigante de revelações- Urano traz sempre surpresas- que começa por enfraquecer a posição externa do BES , já que isto se passa na casa IX que é a casa do estrangeiro e das questões legais. Este Neptuno em trígono a Plutão na XII e a Marte na V e em oposição a Saturno na III traz à tona todos os podres das contas e das estratégias mal sucedidas, dilui a actividade e poder de chefia e enfraquece a posição dos parceiros representados por Saturno regente da VII. Não se pode contar com nada do que antes era válido. Este trânsito, tal como o trânsito de Plutão é particularmente lento e actua em graus exactos desde Maio de 2013 até Janeiro de 2015.

É difícil resumir situações tão complexas seja do ponto de vista do BES seja do ponto de vista astral. Num esboço tosco pode dizer-se que o pano de fundo dos próximos anos é a transformação ou desmantelamento da estrutura accionista do banco, por força das dívidas existentes devido à acção de Plutão na casa VII. Este só faz sextil ao Nódulo Norte em 2016 que é quando haverá oportunidade de se pensar em novas estratégias. Até lá é tempo de fechar situações antigas. Em simultâneo Urano continua o seu trânsito na casa X fazendo esperar o inesperado a condicionar as iniciativas relacionadas com acções conjuntas e participações estrangeiras. É também em 2016, em Março que há um trânsito importante de Urano que faz conjunção ao Sol. Como o Sol rege quem dirige e rege também a casa II dos recursos próprios é de esperar mudanças na liderança e na libertação de fundos.
Depois disso é no final de 2017 que Saturno faz conjunção à Lua ao mesmo tempo que Urano lhe faz trigono o que representa o tempo de mudança de imagem, estruturas, nome do BES, sendo possível que seja do estrangeiro que venha o grande contributo para isto já Urano rege a casa VIII e a casa IX.
No curtíssimo prazo temos, desde estes meados de Julho de 2014, a partir de dia 17, a entrada de Júpiter em Leão onde vai ficar durante um ano até Agosto de 2015 a trazer aumento de capitais próprios para o banco, na sequência das operações já realizadas no último ano quando Júpiter passou o Ascendente e talvez outras mais. A partir de Setembro de 2015 Júpiter entra em Virgem, faz conjunção a Saturno, oposição a Urano, sextil a Plutão e Marte o que se pode traduzir num acréscimo do volume de negócios, mais transações, accionistas e influência de parceiros estrangeiros. É também a partir de Setembro de 2015 que Saturno entra definitivamente por dois anos em Sagitário e casa VI- trata-se aí de aceitar novas regras de funcionamento, estruturar serviços, rever parcerias e introduzir limites ao endividamento porque Saturno faz quadratura a Urano e a Saturno natal. Este período mais critico de restruturação é entre Setembro e Novembro de 2015. No entanto já no final de 2014 e até 15 de Março de 2015 se vai saber o que terá de ser implementado em Setembro. É que Saturno faz uma primeira incursão em Sagitário desde o Natal até à Primavera chegando aos 4 graus o que faz o toque de quadratura a Urano- que deve provocar separação de parcerias internacionais. Isto é ampliado pela posição de Neptuno que também até à Primavera de 2015 faz a ultima conjunção exacta a Urano, oposição a Saturno etc trazendo para primeiro plano a importância, input e dificuldades a eliminar das parcerias estrangeiras. O resto da restruturação de serviços e organigrama fica para depois do Outono de 2015.

Rosita Iguana- com um trânsito de Júpiter conjunto a Urano natal….

BES- O retrato no horóscopo – Parte I

BES- A história nos trânsitos- Parte II

BES-Os antecedentes da crise- Parte III

BES- E agora? -Parte IV

BANCO ESPIRITO SANTO

Anúncios