Depois dos bons começos de ontem, hoje levantam-se questões irritantes que exigem inovação para serem resolvidas. O que desejamos e o que temos de acordar parecem estar em contradição ou mesmo bloquear o diálogo e a sensação pode ser e o que é bom para nós não encontra eco lá fora. Deve-se isto à semi-quadratura entre Venus e Marte em Leão e Mercúrio e o Nódulo Norte em Balança ao mesmo tempo que a Lua em Aqúário também se lhe opõe. A única maneira de sair dos impasses é tentar uma abordagem diferente. Vénus está em trígono a Urano em Carneiro e a Lua faz-lhe um sextil, sinais claros de que há oportunidade de ter melhor eco se mostrar-mos a capacidade de definir novos valores com que entrar em negociação. Mas para que isto aconteça temos de refrear os impulsos que nos levem a ver só no nosso ponto de vista, como se só focassemos as folhas e não dissemos a floresta. O Sol está em Virgem em conjunção a Júpiter, ambos em sesquiquadrado a Urano, aspectos que estimulam o mau feitio e a resposta intempestiva à mínima frustração. Equilibrar posições é a grande tarefa do dia, controlando o génio e desenvolvendo a capacidade de adaptação, criativa, amorosa, financeira, à obrigatoriedade de se encontrar soluções conjuntas.  Vamos a caminho de uma Lua Cheia, uma super Lua, muito próxima da Terra, em Peixes, oposta ao Sol e a Júpiter, dia 29, amanhã pelas 16.36 GMT  e quanto mais, até lá, avançarmos no caminho da harmonia menor será a tensão entre energias vitais e emoções.

A tela é de 1879,  do pintor francês Edouard Manet, está em Berlim no Alte Nationalgalerie. Chama-se ” Na estufa”.

astro_w2gw_66_carta_do_dia.54266.24413

a85c092afdb5e24eb0b87d644cd5718e

Anúncios