Ordem, poder, estrutura, a organização dos assuntos em casa, sociedade, na política é sempre o marco do ingresso do Sol em Capricórnio, no Solstício, este ano dia 22 de Dezembro pelas 04.49 GMT. Arrumar, conservar, poupar no Inverno são necessidades dos tempos rurais que podemos ter esquecido na voragem da vida urbana mas que agora com Plutão em Capricórnio têm outra urgência e requerem novo formato.

É tempo de dar uma grande volta à vida ou encarar as voltas que a vida nos dá. Até 21 de Janeiro, o Sol vai atravessar o Capricórnio e encontra-se com Plutão no dia 6 do novo ano, dia em que também Mercúrio recém entrado em Aquário volta a Capricórnio, numa retrogradação que dura até 27, de forma a que também Mercúrio se volte a conjugar com Plutão. Uma interpretação possível para esta dança do Sol e Mercúrio em torno de Plutão é, desde antes do Natal até ao 24 de Janeiro, a crescente necessidade de estabelecermos uma nova ordem, assumirmos novas rédeas de controlo dessa ordem e de criarmos as condições para poder comunicar esses novos princípios orientadores, estruturantes, em casa, no trabalho, na pirâmide que estamos inseridos. Plutão rege a dívida, o poder, forças sem rosto que tomam conta das nossas emoções ou da evolução colectiva, a pulsão de controlo. Em Janeiro, Plutão e Urano fazem a última quadratura, desta vez já não exacta- das sete que tem vindo a acontecer desde 2012 e estamos a chegar ao fim de um ordem política e financeira de impacto generalizado. Podem ser as novas regras para a banca europeia, podem ser novas regras para a protecção do ambiente, pode ser muita coisa que represente, em última análise, o fim de uma ordem e o princípio de outra que se começa a desenhar e cujo sentido é dado por Saturno e cujo  tempo de revelação ficará para o Outono.

Saturno é o regente de Capricórnio, está em trânsito em Sagitário e vai avançar entre os 10 e os 16 graus, até ao arranque da Primavera, em Março, quando entrará retrógrado até meados de Agosto. Saturno começa o Inverno quadrado a Neptuno em Peixes, posição exacta em que vai estar novamente no Outono o que implica que, para essa definição da nova ordem pessoal e colectiva, todo o ano de 2016 exige cabeça fria, controlo das fantasias e verificação da satisfação dos princípios fundamentais antes de se avançar com nova organização das coisas. Seremos certamente apanhados desprevenidos e confrontados com frustração se deixarmos que Neptuno – o sonho, ilusão- pese mais do que Saturno- a ordem nas ideias. Mas também não podemos deixar que a imposição de regras e de princípios a longo prazo mate a esperança e os ideais. É esse equilíbrio delicado a conseguir todo ao longo do próximo ano que hoje, dia de Solstício temos a oportunidade de entender como fundamento das nossas acções. O Sol entra em Capricórnio sob a influência de Saturno em Sagitário e Plutão, Mercúrio a Lua, Júpiter e o Nódulo Norte encontram-se num grande trígono de Terra a dizer que é preciso adoptar valores, analisar detalhadamente as situações, optimizar soluções e concretizar as transformações, segundo os tais princípios coordenadores preferencialmente adoptados depois de domadas as ondas da fantasia.

A animar tanta necessidade de ordem e controlo, Vénus em Escorpião em recepção mútua com Marte em Balança traz a paixão para a defesa de uma posição complexa que é a que permite sermos quem somos nas relações sem no entanto deixarmos de partilhar intensamente o que nos move. Ou seja, os Céus pedem neste Solstício que sejamos capazes de identificar os nossos próprios valores e parte interessada nos acordos, relações, alianças, sociedades, não para os cortar do todo mas sim para ir mais longe no sentido do que é partilhado, porque estamos mais cientes dos valores em causa. Isto dura até ao final de Dezembro e em Janeiro Vénus entra em Sagitário e Marte em Escorpião o que muda a atitude em relação aos processos de transformação de fundo. Submetemos os valores às regras na primeira semana de Janeiro quando Vénus fizer conjunção a Saturno e temos que separar as águas, cortar a direito no que for preciso, com Marte em Escorpião até princípio de Março,sendo que os dias em que podemos esperar maiores mudanças serão os do princípio de Fevereiro quando Vénus fizer conjunção a Plutão e quadratura a Urano e Marte estiver quadrado ao Sol em Aquário. Como Júpiter entra retrógrado na primeira semana de Janeiro- até à primeira semana de Maio, entre os 23 e os 13 graus de Virgem, temos a oportunidade de rever todos os princípios ou verdades com que lidamos com a saúde, o trabalho, detalhes de contas, análise de dados, prestação de serviços, como fazer crescer a árvore e a floresta, já que não podemos continuar sem concluir o que está pendente e sem rever o que pode ser optimizado. No espaço da retrogradação e Júpiter, Janeiro e Fevereiro exigem uma dedicação total e um grande sentido de serviço porque Júpiter estará conjunto ao Nódulo Norte, um tempo para se fazer exactamente o que tem de ser feito, em nome da ordem e dos interesses gerais, porque Mercúrio regente da Virgem, transita durante esse tempo primeiro o Capricórnio e depois o Aquário. O objectivo continua a ser sempre o do desenvolvimento de novas regras, novas bases, nova ordem, uma nova maneira de estar na vida, de tratar do corpo, das contas, da organização de vida, de tudo o que nos estrutura individual e colectivamente. Isto dura até Março e ao princípio da Primavera quando finalmente Urano e Plutão se afastam da órbita de quadratura que tanta transformação e ruptura exige.
Em Março, depois de tanto esforço de ordem queremos novamente sonhar ou pelo menos defender ideias de futuro, para o que ajuda a entrada de Marte em Sagitário, sínomimo de luta pela verdade, ao mesmo tempo que Júpiter seu regente, retrógrado em Virgem, faz oposição ao Sol em Peixes. Também Mercúrio e Vénus estão em Peixes, esta conjunta a Neptuno no dia 19 de Março, quando começa a Primavera, poucos dias antes de Saturno entrar retrógrado. O Inverno termina assim com uma nota de esperança que resulta de termos feito tudo o que tinhamos de fazer, passado a pente fino a lógica das coisas, reorganzidos vários sectores, limpo e deitado fora tudo o que não serve a ordem futura. Depois, da Primavera até Agosto, com Saturno retrógrado e Neptuno estacionário e retrógrado, será o tempo de rever os princípios que tão arduamente estruturámos este Inverno. O trabalho nunca está terminado….

astro_w2gw_28_carta_do_dia.80767.37408

Anúncios