Temos de estar preparados para a intensidade do dia, como se apesar dos princípios, regras, limites e  ambição de controlo houvesse no entanto que aceitar outras regras do jogo e a impossibilidade de ser tudo como tínhamos previsto ou desejado.  Em vésperas de um novo ciclo emocional que tem a ver com a forma como nos integramos no colectivo- na Lua Nova de Aquário na segunda -feira próxima- temos hoje e durante o fim de semana de abandonar velhos valores e amarras,  e ver o poder e o que podemos fazer com novos olhos. Esta nova e necessária perspectiva tem de ter consequências nas relações pessoais, financeiras, políticas. Há que dar lugar ao novo  como resultado da conjunção da Lua e Vénus a Plutão em Capricórnio e sua quadratura a Urano em Carneiro.  O processo não se passa sem conflito porque o Sol está em Aquário em quadratura a Marte em Escorpião: resultado a maneira como nos queremos projectar no mundo exige outra abordagem. Temos de reciclar a forma como nos defendemos instintivamente, os desejos de poder e a ideia de  regeneração pessoal, sexual, a percepção da morte e renascimento que tem de haver para nos sintonizarmos com as exigências actuais. São dias de paixão, transformação e aceitação de que tem de ser diferente e que isso pode ser bem articulado e trabalhado, graças ao trígono de Urano em Carneiro, a Saturno em Sagitário e a conjunção de Júpiter ao Nódulo Norte em Virgem.

A fotografia é de Roman Vishniac

astro_w2gw_28_carta_do_dia.49246.43242

tumblr_n0xyroqogw1qe0lqqo1_1280

Anúncios