Por Clara Days:
Palavras-chave: Receptividade; interiorização; potencial; mistério.
Esta Sacerdotisa, arcano maior numerado com o 2, representa a essência feminina no seu lado subconsciente: passiva, silenciosa, com poderes psíquicos. Tradicionalmente chamada Papisa, nos Tarots europeus ancestrais, ela entra no mundo da sabedoria através das suas capacidades mentais e do seu poder de compreender o que não é visível.
A Sacerdotisa ensina-nos a meditar, pede que entremos em contacto directo com a nossa Criança Interior, o nosso estado puro. Ela ensina-nos a viajar dentro do nosso ser, dentro dos desertos que habitam a nossa alma, invocando a luz da Lua durante as noites escuras. Enaltece os astros que nos guiam. Adverte-nos para os abismos do caminho, onde a tentação mora. Para resistirmos, ensina-nos a usar o equilíbrio.
A sabedoria da Sacerdotisa não se exprime facilmente em palavras, é feita duma compreensão profunda onde o que é realmente importante emerge dum modo quase irracional, intuitivo. Revela-nos o mundo escondido da nossa essência.
As representações visuais dos diferentes baralhos apresentam-nos uma mulher em pose frontal, com vestes rituais de oficiante religiosa ou deusa (Nesse caso, Ísis a mais ilustre das deusas egípcias). Ladeiam-na, na maioria dos casos, duas colunas: uma branca, a outra preta, Simbolizam, a branca, a luz ou a misericórdia; a preta, as trevas ou a severidade. A Alta Sacerdotisa está entre ambas, equilibrada, passiva, olhando para nós. Sentada ou de pé, mas emana tranquilidade. Pode ter por trás de si um véu, cortina que separa o visível do invisível, e na mão um livro sagrado. A presença frequente da lua no céu, o recurso aos tons azulados que a visão nocturna nos proporciona aludem ao seu lado misterioso e à sua sabedoria profunda.
É esta Sacerdotisa que está associada astrologicamente à Lua (enquanto que a Lua do Tarot esta relacionada com o signo de Peixes). A letra hebraica que lhe corresponde é GIMEL ou GUIMEL, a recompensa; outros autores relacionam-na com QOPH, um ciclo de espaço e tempo. O seu título esotérico é “A Dama do Eterno”.
Esta semana poderemos sentir-nos inclinados a olhar para dentro, fazer uma paragem para reflexão, para encontro connosco e com o nosso lado mais íntimo e secreto. Aproveitemos a sabedoria que daí pode vir, sem alardes, guiando-nos para o auto-conhecimento.
Pacifiquemos a nossa natureza emocional.

Clara Days
Imagem principal: Spike Tarot

Anúncios