A Lua Cheia nas primeiras horas da manhã marca o extremar de emoções e posições sobre como nos relacionamos – nas alianças, acordos, pactos, situações contratuais e laços financeiros- e a autonomia que necessitamos. É no eixo Balança/Carneiro que a tensão se manifesta com o foco, por um lado,  no equilíbrio de posições  e por outro no impulso de agir unilateralmente, como um corda que se estica demasiado e pode romper. A Lua, oposta ao Sol em Balança, está conjunta a Urano em Carneiro, enquanto Marte, seu regente está a caminho de uma conjunção a Plutão em Capricórnio este já em quadratura a Mercúrio em Balança. Estes aspectos de Marte e Plutão reforçam o radicalismo transformador da situação, com revelações e quebras nos diálogos que dão o mote para os cortes, separação, vendas, alienação de tudo o que não tiver cumprido a promessa de harmonia que se desejou na Lua Nova e eclipse de 1 de Outubro. Trata-se de uma Lua Cheia de conflito de interesses, ruptura potenciais e naturalmente da busca de  transformação em que o desejo e capacidade de poder ultrapassa todas as considerações de paz, justiça ou equilíbrio. Vai ser difícil não nos vermos envolvidos pessoal ou colectivamente numa qualquer crise…mas também é possível que esta Lua Cheia permita resolver situações estagnadas e traga uma oportunidade de se repensar objectivos e parcerias graças a um sextil de Júpiter em Balança a Saturno em Sagitário.

 

 

lua-cheia-1610-op-ura

Anúncios