O que fazer para garantir um futuro estável? É essa a questão no ar hoje e amanha, na super Lua Cheia, a maior do século segundo a Nasa, a mais próxima da Terra devido ao movimento elíptico da sua órbita. É uma Lua Cheia em Touro, oposta ao Sol em Escorpião e já hoje a Lua transita esse signo fazendo com que as nossas emoções, carências, instintos procurem valores seguros, palpáveis a que nos agarrarmos, em contradição com o Sol em Escorpião e a necessidade de mudar profundamente o sentido do que é nosso e dos outros, do que podemos ou não controlar, de como temos permanentemente que aceitar que nada é fixo apesar do desejo de estabilidade. Neste domingo, a Lua em Touro, em preparação do extremos de tensão de amanhã entre avançar com profundas mudanças e resistir segurando o que já temos, começa por fazer trígono a Vénus em Capricórnio e quadratura a Marte em Aquário, num movimento que assegura a ambição de vencer, subir a escada do desejo de bases solidas para o futuro, – seja para as relações amorosas, seja para a situação financeira, seja para o enquadramento estrutural, – mas que traz conflito devido à urgência com que manifestamos isso exteriormente, em grupo, socialmente, como se a estabilidade desejada  não viesse sem disputas, agressão, guerra. A Lua faz também trígono ao Nódulo Norte em Virgem o que permite minúcia na preparação dos argumentos de defesa dos modelos que queremos seguir, com  Mercúrio em Sagitário e Júpiter em Balança a instigar contactos, discussão de ideias e perspectivas. O todo é tingido por ideologia e ilusão com a Lua em sextil a Neptuno em Peixes enquanto as emoções  vão num crescendo tão grande quanto essa aproximação à Terra, amanhã, da super Lua Cheia em Touro.astro_w2gw_28_carta_do_dia-34021-22917

 

Anúncios