Não é um fim-de-semana para descontrair ou pensar em nada. A que é que vamos dar valor, como ter segurança física, material, financeira, como beneficiar do bom e do melhor? Começamos no sábado por, apesar do potencial optimismo, abertura de horizontes, desejo de expansão – Lua em Sagitário -, tomarmos  consciência que nada acontece ou se conquista sem reflexão prévia e preparativos a longo prazo – Lua conjunta a Saturno. Apesar do impulso de iniciativa, busca de novas oportunidades, lógica inovadora –  da Lua em trígono a Mercúrio conjunto a Urano em Carneiro,  – Saturno torna séria e responsável qualquer resposta instintiva mesmo com a facilidade de contactos que Marte em Gémeos em trígono a Júpiter em Balança permite.

De seguida, no Domingo, com a Lua em Capricórnio, tornamo-nos mais ambiciosos, mais carentes de poder, de ordem, estrutura, controlo do processo de transformação profunda a que, segunda-feira, daremos novo valor – Lua em Capricórnio a caminho da conjunção a Plutão, depois do sextil da Lua Cheia a Plutão.

Em resumo, há que defender junto de parceiros as posições e propósitos, – cortada agora a  fantasia com o fim da quadratura de Marte a Neptuno – que sentimos nos darão segurança e por isso vale a pena definir com entusiasmo e sentido de organização, para ver já alguns resultados a partir do início da próxima semana.  Há que ouvir o coração e agir com a razão.

Fotografia de Rodchenko

Anúncios