O nosso lugar na sociedade, a relação com os grupos, o que temos para dar ao colectivo e o que o colectivo nos dá começa, esta segunda-feira, por ser fonte de surpresa a que respondemos com desejo de melhores condições que respeitem a nossa capacidade de iniciativa e ideia de futuro com a Lua a entrar em Aquário pela tarde depois de uma quadratura a Urano em Carneiro. Esse confronto com o mundo em que estamos inserido é tanto mais inquietante quanto mais estivermos amarrados a rotinas, tradições, dependências emocionais, familiares, domésticas, com o Sol e Marte em Caranguejo, como se quiséssemos agir, tivéssemos resistência a fazê-lo e receio do impacto geral. Júpiter em Balança faz com que seja importante respeitar a verdade das relações, tarefa difícil pelas quadraturas ao Sol e a Plutão em Capricórnio. No fundo a grande questão de desde hoje e nos próximos dias se levanta é qual o controlo que temos sobre os processos de mudança de vida que agora ocorrem. Os impactos das decisões dos outros podem abalar a estabilidade assim como a necessidade de mudar pode forçar conflitos com a ordem existente. Uma coisa é certa, no final da semana o sentimento de segurança, o que nos é familiar, pode bem ter outra expressão com o Sol a fazer desde hoje e nos próximos dias oposição a Plutão em Capricórnio.

Anúncios