Mais um dia de sentimentos intensos, tanto do lado prático como ideal em que o difícil será descortinar o que temos de largar e o que deve ficar para a próxima etapa de relacionamentos amorosos, contratuais, financeiros, políticos. Por um lado, com Vénus e Marte em Virgem em trígono a Plutão em Capricórnio, devíamos ser capazes de nos dedicarmos com o coração e a espada e sentidos do detalhe a fazer o que tem de ser feito para mudar a ordem das coisas, na partilha de bens, poderes, organização em que estamos envolvidos. Por outro, a Lua em Peixes que desde ontem se lhes opõe, depois de fazer conjunção a Neptuno, faz conjunção a Quíron e a hipersensibilidade a feridas antigas quer sobrepor-se à lógica e tinge os raciocínios e opções. Como Mercúrio, regente da Virgem, está em Balança, conjunto ao Sol, é do equilíbrio das relações que temos de tratar, do deve e haver, do que é justo, da paz e da guerra que há que fazer para que possa haver nova paz, já que a aproximação até ao próximo dia 10 de uma quadratura do Sol a Plutão e a entrada de Júpiter em Escorpião anunciam uma nova ordem nos relacionamentos e como é imperioso irmos ao fundo das questões para ressurgir com novo optimismo. Trabalhar para respeitar a verdade que nos move, sem medo nem projecções, é o caminho hoje a seguir.

Anúncios