A semana começa com uma mudança energética substancial, já que a busca de consenso, apesar de ser uma preferência, é ultrapassada pelo desejo de controlo mesmo que isso implique corte de relações pessoais, contratuais, financeiras, políticas. Vénus ainda está em Balança mas, em simultâneo, o Sol sai da Balança e entra em Escorpião e o primeiro regente, Marte, sai da Virgem e entra em Balança. Para intensificar as pulsões mais baixas, conflitos de poder mas também uma enorme capacidade de regeneração – tudo depende do grau de consciência ou possibilidades de lidar com as respostas instintivas que há em nós – o Sol vai esta semana fazer conjunção a Júpiter e a Mercúrio enquanto Vénus avança ainda com desejo de manter o status-quo até chegar a uma quadratura a Plutão na sexta -feira, num estrondo das boas intenções que terão de se preparar para novos cenários a pôr em marcha quando Marte chegar a esse mesmo ponto de tensão com Plutão em meados de Novembro. Estamos assim numa caminhada de poder e transformação da ordem estabelecida cujo melhor resultado será  conseguirmos controlar o que de mais instintivo  nos move mas que permite também desde que o ego não se envolva, fazer milagres pelo bem comum, indo para a guerra para se conquistar uma nova paz onde, com estes trânsitos, parece impossível de chegar sem conflito aberto. A Lua hoje em Sagitário, em quadratura a Neptuno ilude-nos com falsos optimismos e a convicção das intenções pelo que é bom certificarmo-nos, com pragmatismo de que os projectos são legais ou viáveis já que amanhã faz conjunção a Saturno e teremos mesmo de nos confrontar com os limites e responsabilidades das escolhas. Não são dias leves mas podem com grande controlo pessoal levar-nos a uma actuação mais responsável, custe o que custar.

 

Anúncios