Por Clara Days:
Palavras-chave: retrospectiva; síntese; alcance; evolução.

Elevemo-nos e olhemos para trás: a etapa que finda está clara e simples, diante do nossos olhos, como uma fita de tempo em que agora conseguimos perceber o porquê do que passou. Iluminados pela energia do Universo, somos capazes de fazer a síntese integradora e retirar, com singeleza, cada lição para o futuro. Em paz, sem remorsos ou engulhos, preparamo-nos para rematar as pontas soltas, encerrar os assuntos pendentes, deixar para trás o que não merece. Estamos no fim de um ano civil e tudo convida ao balanço.
Mas a energia deste arcano do Tarot não tem nada a ver com engolir passas ou beber champanhe, com fogos de artifício ou festejos ruidosos: é de nós para connosco.
A carta veio, como se fosse natural, para nos ajudar neste processo. Como também veio há um ano, no encerramento de 2016 – e garanto que não foi forçado.
Sem batotas, o Mundo / Universo pede-nos que sejamos honestos mas essencialmente construtivos. O nosso percurso pessoal tem agora um momento de paragem para crescimento, que passa antes de mais pela retrospectiva crítica do percurso realizado. Para redefinir metas. Para ligar o passado ao futuro. Para nos preparar o recomeço.
O Mundo / Universo é o último Arcano Maior, o zénite da nossa consciência. Não representa um tempo de continuidade, mas não é um tempo de ruptura: é antes uma oportunidade para nos elevarmos, para saltar de patamar e usar o que aprendemos. Na semana passada, com a Roda, arcano 10, veio uma mudança de direcção, ou uma inversão de sentido. Agora, com o arcano 21, podemos concluir uma etapa de um modo mais consciente e uno, entendendo o sentido do que está para trás para abrirmos uma nova porta de oportunidade e aprendizagem.
É um tempo de conclusão que nos exige a transcendência do comezinho para permitir uma transmutação. É a crisálida que pode sair do casulo, agora diferente, no seu estado mais belo, como borboleta. A carta do Universo representa, em termos muito terrenos, a realização pessoal.

Visualmente, nos diferentes baralhos, o Mundo é uma jovem mulher desnuda, envolvida num véu, posando triunfalmente, dentro de uma grinalda. Nos baralhos mais ancestrais, a representação não era tão simbólica, mostrando antes um “mundo” feito paisagem urbana, um espaço construído delimitado, como que dentro de uma redoma que a figura feminina, trajada à moda da época, dominava. Por vezes, não era uma mulher, mas uma criança ou crianças / anjos. A figura da mulher desnuda e emoldurada vem, pelo menos desde os baralhos do séc. XVIII, como a imagem mais frequente e repetida. A grinalda surge frequentemente substituída por uma serpente enrolada, unindo a cabeça à cauda – o princípio ao fim. Nos cantos da carta, as referências aos quatro elementos primordiais,através da representação dos seus símbolos: touro, leão, águia, anjo.
Astrologicamente, o Mundo /Universo corresponde a Saturno, pai do Tempo. Não é irrelevante lembrar que Saturno, um planeta lento, está neste momento em movimento directo (esteve longo tempo retrógrado) e acaba de entrar em Capricórnio, signo de gestação e construção. Saturno, lembremos, pode ser definido como o planeta do Karma.
A letra hebraica que corresponde ao Mundo / Universo é TAU ou TAW, a cruz, selo da Criação. O número 21 pode ser reduzido a 3, mas também ser visto como o triplo de 7, e assim considerado como a perfeição final. O título esotérico desta carta: “A Grande Unidade da Noite do Tempo”.

É tempo de fazer tudo o que falta para não ter assuntos pendentes, na vida prática como na vida afectiva. Tempo de procurar as pessoas de quem nos afastámos mas que estão na nossa lembrança e no nosso coração. De ultrapassar desavenças que agora percebemos fúteis ou desnecessárias.
Relativizamos o que correu mal, agora que conseguimos olhar de um modo mais integrado e perceber o valor real de cada acontecimento passado, em perspectiva. Sejamos honestos mas benevolentes, na avaliação que fazemos de nós próprios. O momento é de balanço e esperança, não de expiação.
Arrumemos a “casa”, dentro de nós, prontos para um recomeço. Estamos na posição ideal para definir novas metas.

Imagem : Tarot Visconti-Sforza (Academia Carrara) – séc. XV
Clara Days

 

Anúncios