Queremos garantias mas a verdade é que não temos o controlo total apesar de estarmos a trabalhar para isso. Os sentimentos de posse estão hoje exacerbados, queremos dominar a matéria, apostar em valores seguros, defender território mas nem tudo está nas nossas mãos com a Lua em Touro oposta a Júpiter em Escorpião e Vénus seu regente em Aquário conjunta ainda ao Sol. Ou seja, estamos virados para questões colectivas, projectamos-nos em grupo, procuramos ecos solidários, desejamos que as nossas preferências ou investimentos se materializem mas para que tal aconteça é preciso ir ao fundo das questões sobre quem controla quanto e o quê e estarmos prontos a fazer verdadeiras revoluções na ordem ou estruturas das coisas, já que Plutão regente do Escorpião está em Capricórnio, conjunto a Mercúrio o que implica também mudança de discurso, de lógica e contabilidade. Para tudo isto é fundamental o pragmatismo que Saturno em Capricórnio determina mas o dia também tem umas horas  em que o sonho orienta as escolhas materiais quando pelo meio-dia GMT um sextil de Neptuno em Peixes à Lua em Touro nos permite satisfazer brevemente os sentidos  antes de termos de passar novamente a objectivos mais concretos ou à busca de resultados palpáveis,  até amanhã quando a Lua fizer trígono a Plutão e a Mercúrio. De seguida a Lua faz uma oposição a Marte no último grau do Escorpião, o que se traduz no esforço de ganhar seja qual for o custo ou em atitudes defensivas do que vemos ameaçado. Só depois Marte entra em Sagitário e poderemos partir rumo a novos horizontes. Custa a defender o que é nosso…

Anúncios