Aos entusiasmos ou festa no sábado seguem-se as responsabilidades ou imposições de  domingo. Iniciativas, viagens, encontros, celebrações são ilustrações possíveis da energia fogosa e abrangente da Lua em Sagitário em trígono a Urano em Carneiro e sextil ao Sol e Vénus em Aquário. Queremos mesmo ir mais longe com Marte em Sagitário, clamar uma verdade que nos mova e fazer com isso a festa que altera a ordem das coisas com Júpiter regente do Sagitário em trânsito no Escorpião em sextil a Plutão em Capricórnio.

Assim, as liberdades ou aberturas estão na ordem do dia no sábado mas no domingo dois novos aspectos mudam as respostas emocionais. A Lua passa para Capricórnio, em sextil a Vénus que sai do Aquário e entra em Peixes. Vénus em Peixes suaviza todos os sentimentos, apela à compreensão, compaixão, dedicação às questões de interesse humanitário enquanto que a Lua em Capricórnio é fria, pede um cálculo cuidado das consequências e uma ordem a ser seguida. Se não encontrarmos uma boa causa a defender de forma estruturada teremos dificuldade em compatibilizar emoções e ambições. A Lua pelo meio-dia de domingo faz conjunção a Saturno e há que condicionar os impulsos às obrigações, tratar da ressaca da véspera. Quanto melhor organizarmos as coisas no domingo e mais friamente pensarmos o que queremos e o que podemos ou não controlar no futuro, mais facilmente, na segunda-feira, quando a Lua fizer conjunção a Plutão, em sextil a Júpiter e semi-sextil a Mercúrio e ao Sol, sentiremos as novas oportunidades que se estão a abrir.

Anúncios