Por Clara Days:
Palavras-chave: fecundidade; fertilidade; natureza; forças da vida.

Foquemo-nos nesta figura maternalmente feminina, que nos inspira para a semana que entra e onde ocorre um novo eclipse, desta feita do Sol, no dia 15.
A Imperatriz é a Mãe – fecunda, cuidadora, natural, ligada à vida no seu sentido mais terreno – enquanto que o seu par, o Imperador, será o Pai tradicional – aquele que dirige e impõe as regras e limites, a lei e a ordem. Ela é espontânea, enquanto que ele será racional. Ela reina na natureza, ele na sociedade.
Desde as épocas mais remotas que a feminilidade fecunda é reverenciada. A Deusa Mãe, Gaia, Deméter, Freia, Temazcaltec, entre tantas divindades, foram exaltadas e celebradas ao longo dos tempos e em todos os lugares habitados. No Tarot, representa o Princípio Feminino manifestado na matéria (enquanto a Sacerdotisa será o Princípio Feminino, mas na sua dimensão sensitiva e espiritual).
Integrar este arquétipo maternal significa enraizar-se nas forças vitais, conectar-se com o corpo e os sentidos, deixar fluir o prazer sensorial e vivenciar o amor de uma forma profunda mas simples, como entre uma mãe e um filho. A Imperatriz é do “ser”, não do “ter” ou propriamente do “fazer”. Ela vivencia os acontecimentos sem grande processamento mental, mais focada no sensível e em harmonia com os ciclos naturais. Na realidade, ela é criadora, mais do que criativa, porque o que realiza é quase instintivo e pouco mental.
Mas atenção: a prioridade são os outros, aqueles de que cuida, sejam pessoas, animais ou outros seres vivos. A realização pessoal da Imperatriz reside na felicidade e bem-estar dos seus protegidos.

A sua imagem, nos baralhos, começou por ser a de uma mulher reinante, devidamente sinalizada pelos símbolos do poder – coroa, escudo, globo, ceptro. Mas, com o tempo, a ligação deste Arcano Maior 3 à natureza e à fecundidade aparece cada vez mais recorrentemente nas cartas: a coroa pode passar a ser de flores, o lugar um campo, os símbolos as espigas, os frutos das colheitas bem sucedidas, as aves e seus ninhos. Na maioria dos baralhos, os elementos formais da realeza e os naturais da fertilidade terrena coabitam e transformam-na numa personagem de postura e expressão acolhedora e acessível. Impera nos campos, no meio das flores, frequentemente com o ventre saliente de uma gravidez.
A Imperatriz está associada astrologicamente a Vénus, a entrega, planeta do amor e da sensualidade. A numerologia associa o número 3 à criatividade e à expressão. A letra hebraica que lhe corresponde é DALETH, a porta. Título esotérico deste arcano: “A Filha dos Poderosos Uns”.

Sejamos naturais, esta semana. Procuremos a pacificação nas coisas simples e necessárias à vida, cuidando do nosso corpo. E entreguemo-nos ao amor pelos outros sem reservas ou receios, dispostos a acolher e cuidar.
No fundo, se a prioridade são os outros, isto passa por estarmos bem, também. Um cuidador deve cuidar de si, para garantir que pode entregar-se àqueles por quem se sente responsável com energia e eficácia. E agir sem grandes jogos de raciocínio, deixando os sentidos e os sentimentos tomar também a direcção da sua acção.
Simplifiquemos e procuremos estar em sintonia com o mais natural do nosso ser. Não nos privemos do que nos faz sentir bem, desde a comida à alegria partilhada. Respeitemos o nosso tempo de descanso.
Nesta semana, deixemos a vida fluir em nós. Naturalmente.

Imagem – Tarot de Crowley, com desenhos de Frieda Harris – primeira edição em 1969 (realizado entre 1938 e 1943)

Clara Days

Anúncios