Começamos a semana com uma urgência de renovação da ordem em que estamos inseridos mas as bases do que há de vir a ser só as poderemos lançar quinta-feira, dia de Lua Nova e eclipse do Sol.  Há por isso que conduzir habilmente o percurso emocional e prático que até lá nos vai permitir essa regeneração. O caminho começa hoje com a conjunção da Lua a Plutão em Capricórnio, tempo intenso em que temos de entender o que há que largar e o que pode ficar. Este aspecto ocorre em simultâneo com um sextil a Júpiter em Escorpião, regido por Plutão, sinal de que as mudanças têm de ser profundas e implicar uma nova leitura dos factos e horizontes a conquistar, com Marte em Sagitário em recepção mútua com Júpiter em Escorpião.  Com Saturno  em Capricórnio, até ao eclipse em sextil a Vénus em Peixes, temos toda a semana oportunidade de nos organizar para essa nova fase com mais generosidade e sentido do que é universal.  Sol e Mercúrio em Aquário, à espera da Lua para a Lua Nova e eclipse do Sol, mostram a preocupação e ocupação com questões de grupo, colectivas, de liberdade e inovação e como estão em sextil a Urano em Carneiro, também até ao eclipse, torna-se claro que apesar das dinâmicas de grupo temos de nos posicionar individualmente para dar novo fôlego ao colectivo em que estamos inseridos. Depurar, ambicionando melhorar o que é nosso mas partilhamos é o guião da semana até ao eclipse que, na sequência dos de Fevereiro, Agosto e final de Janeiro nos empurram para um novo posicionamento no mundo a que pertencemos.

 

Anúncios