Todo o dia de sábado e a manhã de domingo é tempo para seriamente pensarmos no que ambicionamos a longo prazo, que organização de vida ou profissional nos interessa desenvolver e que valores queremos preservar, em suma como queremos arrumar os assuntos ou coisas pendentes de forma a garantir um futuro estruturado.  Isto acontece com a Lua em Capricórnio quase todo o fim-de-semana, a fazer conjunção a Saturno, a Marte e a Plutão- aspectos tensos amenizados por um trígono a Vénus em Touro. O outro aspecto que dá trabalho por exige contenção é o quincúncio de Marte ao Nódulo Norte em Leão que nos diz que mesmo para fazer o que nos apetece é preciso disciplina e um sentido de ordem mas também não nos podemos limitar a seguir a ordem vigente porque há que assumir o nosso papel específico na ordem das coisas. Esta gestão complexa de responsabilidades e atitudes prolonga-se de sábado para domingo inclusive quando a Lua pelo meio-dia de domingo entrar em Aquário. Nessa altura temos de olhar para fora, para o colectivo, para grupos de interesses, aspirações globais ou redes sociais de toda a natureza porque é aí que será preciso encontrar o espelho ou o contraditório de quem somos ou onde queremos chegar. O Sol em Carneiro a preparar-se no arranque da semana para fazer quadratura a Plutão pede que  nos preparemos durante este fim-de-semana para as mudanças de fundo que estão para vir ou porque as encorajámos ou porque a elas somos sujeitos e  isso vai forçar alguma reflexão. Com Mercúrio retrógrado em Carneiro em sesquiquadrado a Júpiter em Escorpião é melhor não falar de mais.  O cuidado com as palavras é o que melhor pode defender os nossos interesses.

Tela de Clyfford Still,  1937. © Clyfford Still Estate USA

Anúncios