Este é um fim-de-semana para fazer coisas diferentes, pensar diferente, respirar diferente e, em vez de sentir insegurança, vermos nisso terreno para nova estabilidade. O desejo de acção vem, intempestivo, com a Lua em Carneiro, regida por Marte em Capricórnio em impulsos de mudar a ordem das coisas. Em simultâneo, Mercúrio faz sábado e domingo conjunção a Urano no último grau de Carneiro  dando a possibilidade de aceder a informação até agora desconhecida, fazer descobertas, ir onde nunca fomos, como nunca fomos e, como o Sol em Touro está também, sábado e domingo, em trígono a Plutão em Capricórnio, ganhamos com isso acesso a revoluções tranquilas de consciência e valores, alimentadas a alto nível pelo trígono de Júpiter em Escorpião a Neptuno em Peixes que nos inspira e leva a procurar a regeneração do corpo, mente e espírito. O quincúncio de Vénus em Gémeos e o seu semi-sextil ao Sol em Touro apontam para a tensão de termos de fazer opções quando não queremos sequer esperar para reflectir. Mas resolvida essa ambivalência e possível irritação, se nos abrirmos ao novo para aí encontrar novos valores que valha a pena segurar, então o fim-de-semana trará boas experiências. A entrada de Mercúrio em Touro pelo meio dia de domingo e da Lua também em Touro pelo fim da tarde de domingo, a caminho de um trígono a Saturno em Capricórnio mostram que estamos no caminho de  semear alguma estabilidade e segurança na Lua Nova de Touro da próxima terça-feira.

Tela de Marc Chagall

Anúncios