É preciso escolher bem o que vamos semear na Lua Nova de hoje em Touro porque nem tudo o que reluz vai ser ouro… Dinheiro, prazer, o que nos nutre, a segurança material, física e a satisfação dos sentidos são os focos tradicionais do Touro signo em que hoje o Sol e a Lua se encontram pelo meio dia GMT num arranque de ciclo lunar em que devemos plantar o que queremos vir a colher em lunações seguintes. Em trígono a Plutão e a Marte em Capricórnio, em oposição a Júpiter em Escorpião e em semi-sextil a Vénus em Gémeos, este novo ciclo parece ser um ciclo de concretização ou materialização através da transformação de regras e estruturas existentes. Mas isto não acontece sem conflitos, certamente já em curso nos últimos dias, entre as iniciativas que se tomam e o impacto sobre a ordem existente. Uma quadratura de Marte em Capricórnio a Urano  em Carneiro e a Mercúrio em Touro é um apelo explosivo à contestação de acções e valores mal fundamentados já que Vénus regente do Touro se encontra em Gémeos em semi-quadratura ao Nódulo Norte em Leão mostrando que a ligeireza acaba por ser bloqueadora.

Por estas e por outras é que é fundamental aproveitar um trígono de Mercúrio em Touro a Saturno em Capricórnio para fundamentar seriamente os valores que queremos salvaguardar, os que queremos transformar e os a desenvolver a longo prazo. Mas mesmo isso é difícil de concretizar pela semi-quadratura de Mercúrio a Neptuno em Peixes que ilude qualquer certeza ou lógica condutora.  Mais ainda, tudo o que sejam acções espontâneas, impulsos do ego, mecanismos defensivos, investidas cegas, tão fáceis de acontecer pelo aspecto entre Marte e Urano, criam no mínimo instabilidade e o potencial de violência é enorme.  Essa afirmação explosiva de vontade, poucas horas depois da Lua Nova muda de características com o ingresso de Urano em Touro a que se segue na madrugada de quarta-feira o ingresso de Marte em Aquário, aspecto que reforça a instabilidade social e ilustra como é precária a segurança material.  Tudo o que é tóxico do passado, qualquer  amarra em que a segurança material era o pretexto corre agora o risco de cair por força das circunstâncias ou porque nós próprios estamos a abrir-nos à mudança. Mas para que esta mudança não se traduza em caos e perdas é preciso pensar em terceiras vias, estar aberto ao inesperado e, individual e colectivamente,  ir criando novas estruturas e definindo novos valores nos próximos 7 anos em que Urano atravessa o Touro.

Imagem: As Fúrias da mitologia grega, filhas do sangue de Urano quando foi castrado pelo seu filho Kronos.

Anúncios