É já na madrugada de amanhã, quinta feira, que ocorre a Lua Cheia em Capricórnio, num arranque de ciclo lunar marcado por responsabilidades ou restrições,  nova ordem ou frustração, conforme tenhamos vindo a preparar o terreno nos últimos quinze dias desde a Lua Nova em Gémeos que abriu o caminho para novas comunicações, negócios ou aprendizagens. Assim, hoje, véspera de uma Lua Cheia de severidade, seriedade e responsabilidade, pela sua oposição ao Sol em Caranguejo e conjunção a Saturno em Capricórnio, temos de estar particularmente conscientes do que queremos a longo prazo, onde iremos assentar a nossa segurança emocional, doméstica, familiar, nacional e quais os esforços a encarar para o alcançar, porque é óbvio que temos de deixar a nossa zona tradicional de conforto para encaixar novos modelos de organização de vida. Um trígono da Lua a Urano em Touro, no tempo que antecede a Lua Cheia diz-nos que temos de nos abrir a possibilidades novas, sem medo já que os modelos ou valores que até agora eram garante de solidez e segurança deixaram de o ser. No entanto, a abertura, inteligência e adopção dos novos “investimentos” que há que fazer, só são possíveis se deixarmos de ir atrás do ego ou vontade cega. Marte está desde ontem retrógrado em Aquário e assim fica até final de Agosto  num sinal claro que temos de rever atitudes e aprender a controlar iras, zangas, agressões, disparos em todas as direções. Em quadratura a Urano seu regente e conjunto ao cármico Nódulo Sul, Marte parte em retrogradação para nos forçar a mudar de modo de expressão da vontade, porque temos de rever os fundamentos dessa vontade. Sem agilidade de espírito e sem uma perspectiva honesta do real, este tempo de retrogradação de Marte assinalado pelas contradições da Lua Cheia podem ser difíceis de suportar. Comecemos já hoje a ver o mundo que nos rodeia, gente,  finanças, poderes, sem óculos escuros, nem cor-de-rosa…

Imagem: Foto-composição de Mystic Mamma

 

j

 

Anúncios