É preciso ter atenção hoje ao que se diz, como se diz e porque se diz. O  facto é que queremos acção, desejamos ter iniciativas e tomar posições que nos façam sentir seguros porque achamos que assim estamos defender a nossa posição no mundo. Este impulso para fazer coisas sem grande reflexão , só para curar insatisfações, vem da Lua em Carneiro conjunta a Quíron retrógrado. E como ambos fazem trígono a Mercúrio conjunto ao Nódulo Norte em Leão é pela expressão do que queremos ser, de como queremos brilhar que se manifesta essa energia. No entanto, a frustração vai ser maior do que o impacto de iniciativas ou declarações pouco sustentadas.  A Lua e Quíron estão em quadratura a Saturno em Capricórnio e isto faz com que todos os impulsos que não tiverem por base uma estrutura sólida, uma articulação, preparação ou objectivos a longo prazo vistos com principio, meio e fim, não poderão vingar e teremos dificuldade em aceitar o fracasso. Em simultâneo, a oposição de Marte, regente do Carneiro, em trânsito no Aquário, a Mercúrio em Leão é sinónimo claro de discussões, conflitos, flutuações de posições e exageros no posicionamento e expressão da vontade, tudo igual a mais frustração se formos atrás da primeira ideia… A tendência para os excessos é ainda fomentada por um trígono do Sol em Caranguejo a Júpiter em Escorpião, em princípio um aspecto de abundância e sucesso mas que, pelo bem estar que fomenta, pode induzir a abusos ou arrogância. Com calma e atenção à forma como nos afirmamos conseguimos hoje fazer muito. Vencer não pode ser de qualquer maneira.

Tela de Jean-Michel Basquiat

Anúncios