Este é um fim-de-semana de Lua Cheia em que se sente a polaridade entre o que se tem de fazer e o que se sonhava poder não ter que se fazer… É no domingo pela hora de almoço GMT que a Lua em Peixes se opõe ao Sol em Virgem numa polaridade entre o sentido de serviço, a necessidade de um olhar crítico, de atender ao pormenor e o desejo de evasão, de elevação a outras esferas de consciência, a cabeça nas nuvens a lutar contra o dever de deitar mão ao que há que ser feito. Apesar dessa contrariedade, ficaremos satisfeitos com a sensação do dever cumprido, principalmente se inovarmos nos métodos e dermos novo valor ao equilíbrio e paz das relações.  O Sol em Virgem faz sábado e domingo um grande trígono de Terra com Saturno em Capricórnio e com Urano em Touro o que permite obter resultados palpáveis .

Como Mercúrio, regente do Sol em Virgem, está em recepção mútua a este em Leão e Vénus, regente do Touro onde está Urano,  se encontra em Balança, em sextil a Mercúrio,  a chave para atingir resultados positivos reside na capacidade de sermos capazes de falar claramente sobre o equilíbrio pretendido, sem exageros nem fantasias- Mercúrio está em quadratura a Júpiter em Escorpião e quincúncio a Neptuno em Peixes e tudo o que não for bem definido causará confusões.

Assim, os problemas de domingo podem ser intuídos e pré-resolvidos no sábado quando a Lua ainda em Aquário fizer trígono a Vénus,  oposição a Mercúrio e quadratura a Júpiter. Há que no sábado organizar programas, dar espaço e saber ouvir e comunicar para que no domingo a necessidade de fuga seja mais fácil de sublimar…As diferenças entre o espírito e a matéria, entre o sonho e os detalhes da realidade são o que é preciso articular, de acordo com a lógica pessoal de cada um mas evitando conflitos, através de diálogos pacificadores.

Imagem: Arthur Spears

Anúncios