Não vai ser uma semana simples nem isenta de tensões. Só mesmo no final, sábado e domingo 20 e 21 é que relaxamos, seja porque as condições o permitem seja porque só então somos capazes de “desligar” da exigência a que vamos estar sujeitos.  Entre segunda e quarta ao meio dia, a Lua transita  o Capricórnio e  de seguida, o Aquário até sábado. Enquanto em Capricórnio faz conjunção na segunda a Saturno e na terça a Plutão, quando entrar em Aquário na quarta faz conjunção a Marte, oposição ao Nódulo Norte em Leão, quadratura a Urano em Touro e quadratura a Mercúrio e Vénus em Escorpião.

Em resumo, bem podemos tentar segunda e terça ser ambiciosos e criar novas estruturas de segurança emocional, familiar ou política mas vamos ter de nos submeter aos constrangimentos e forças maiores que vão bloquear tudo o que não seja francamente inovador e que corresponda a uma verdade pessoal ou sentido de identidade genuíno.  Na quarta, temos de nos afirmar de forma inequívoca porque percebermos que temos expectativas que nos separam de que quem nos rodeia  e quinta há que cortar amarras com quem não estiver connosco neste processo de transformação do ordem das coisas.Sexta haverá mais hipóteses de renegociar um equilibrio de posições com a Lua a fazer um trígono ao Sol em Balança e só sábado e domingo, com a Lua já em Peixes, conjunta a Neptuno,  em trígono a Vénus, Mercúrio e Júpiter em Escorpião é que as emoções apesar de intensas suavizam e podemos tentar esquecer todas as dificuldades da semana. A flexibilidade aliada à capacidade de inovar são as chaves para mínimizar as tensões de segunda a sexta.

Anúncios