É um dia complicado em que nada acontece sem tensão e em que, quaisquer as opções na mesa, o custo é elevado ou o conflito de interesses duro. O Sol está em Escorpião a pedir mudanças profundas na ordem das coisas mas estas não podem separar-se de uma quadratura à Lua e a Marte, conjuntos ao final do dia, em Aquário, no que intensifica um espírito combativo e o impulso para dominar situações e ambiente. O Nódulo Norte em Caranguejo em quadratura a Urano em Carneiro e quincúncio a Lua e a Marte em Aquário aponta claramente um caminho de futuro que garanta seguranças emocionais ou nacionais mas que para ser seguido implica cortes conflituosos com os grupos a que temos estado associados, os ambientes que nos rodeiam, as ideias que formaram as estruturas que nos têm servido de rede pessoal e colectiva. Limpar “Karma”, libertar-nos do passado, inovar sem perder noção do que é a nossa base emocional, rever iniciativas e compromissos, faz tudo parte da agenda do dia, em grande agitação que representa também a oportunidade de clarificar propósitos graças ao sextil de Marte e Lua a Urano em Touro.  Há também, tal como ontem, grandes oportunidades de confusão pela quadratura de Mercúrio em Júpiter a Neptuno em Peixes, aspecto que confunde lógica e sensações,  verdades e fantasias.

Esta quinta feira é mesmo um dia limite. Na sexta-feira Marte e Lua entram em Peixes, Vénus fica directa em Balança e todas as tensões dos últimos dias mudam de tonalidade. Vamos ter também de rever toda a confusão que criamos porque Mercúrio entra retrógrado. Quanto melhor fecharmos assuntos hoje libertando-nos de amarras passadas, menos matéria teremos de repisar nos próximos tempos sobre o que é que funciona e nos dá garantias e o  que tem de ser corrigido.Mas atenção, Marte em Peixes pode também fazer-nos correr atrás de uma outra qualquer ilusão. Um máximo de realismo proposto por Saturno e Plutão em Capricórnio deve ser o que guia.