Mantem-se a tensão de ontem entre o impulso para tudo quebrar e o desejo de estabilidade ou de mudança controlada. Tal como desde o início da semana e até dia 21, o Sol em Capricórnio faz quadratura a Urano em Carneiro, numa enorme tensão de ruptura da ordem estabelecida e tal como ontem a Lua está em Touro em busca de estabilidade a fazer os ajustamentos possíveis através de trígonos a Mercúrio, a Plutão e ao próprio Sol, até à madrugada de quinta-feira. Vénus que rege o Touro está em trânsito em Sagitário em trígono a Marte em Carneiro, a estimular a ambição e possibilidade de exprimir a verdade, mais ainda pela conjunção que se aproxima de Vénus a Júpiter. Mas os objectivos podem ser confusos ou estar tingidos de idealismos que não resistem ao pragmatismo que o tempo requer com Júpiter em quadratura a Neptuno mas em semi-sextil a Saturno. Estamos a menos de uma semana do segundo eclipse deste mês de Janeiro que vai ter lugar no dia 21, um eclipse total da Lua a zero graus do Leão, em quadratura a Urano. Avançamos assim para um nova fase emocional, doméstica, nacional na qual,  porque portas se fecham, outras terão de abrir. É com uma consciência de longo prazo que devemos encarar as perturbações que possam surgir, sem abraçar o imediato,  pelo impulso ou porque brilha. Desde hoje e até lá vamos com a Lua em Touro focar nos valores que vale ou não a pena preservar, depois com a Lua em Gémeos procurar informação  fazer contactos que permitam avaliar as opções, e com a Lua em Caranguejo, em conjução ao Nódulo Norte fortalecer a noção do que nos dá a mais profunda segurança. Estaremos então prontos para um eclipse do qual sairemos sob nova luz sob nós próprios e naturalmente uma nova imagem. A quadratura do Sol a Urano de hoje até dia 21, abre o jogo para o que será resolvido no eclipse de Lua Cheia desse dia.