Estamos a lidar com assuntos delicados, dolorosos e a resposta que temos pode não ser apaziguadora. Mas é a consciência dessa ferida, da sua origem e da capacidade que, cada qual, tem para a ultrapassar que permite seguir em frente, mais fortes mesmo se com menos apoios. Depois da Lua Cheia de ontem em dia de Equinócio, em que se exacerbaram as tensões entre as iniciativas que queremos tomar e as respostas que recebemos, temos hoje mais tensões… Não só o Sol se mantém em conjunção a Quíron como a Lua ainda em Balança faz agora quadratura a Saturno e Plutão em Capricórnio num sinal claro de que a ferida dói e há forças maiores que impedem o status quo no equilíbrio das relações. Apenas um trígono da Lua a Vénus em Aquário traz algum alivio se optarmos caminhos novo, o que é reforçado pela presença de Urano em Touro que também é regido por Vénus. Mercúrio continua retrógrado conjunto a Neptuno em Peixes e o recado é que temos rapidamente de resolver confusões pendentes. Em resumo, há hoje que sentir onde dói e ultrapassar conscientemente as inibições, optando por novas vias, sem medo de deixar para trás estruturas ou uma ordem caduca das coisas.