Mais um dia desconcertante em que o que ambicionamos tem de ser sujeito a reformulações e em que somos confrontados com o passado que temos de largar e o futuro que temos de re-estruturar. O Sol em Carneiro está ainda conjunto a Quíron sem ligação a qualquer outro planeta, sinal de que há um desejo de iniciativa para ultrapassar incapacidades ou carências mas que isso não se articula em linha directa com mais nada. Essa vontade exerce-se através do corte com velhos valores, bens ou investimentos de forma a satisfazer a necessidade imperiosa de reformular as estruturas a que estamos ligados em casa, no trabalho na política, porque Marte regente do Carneiro está em Touro a terminar trígonos a Saturno e a Plutão em Capricórnio a que hoje se une a Lua. Estamos a “malhar” no duro e até pode haver resultados só que estes não correspondem totalmente ao nosso desejo inicial e sofremos por não conseguir agradar a todos, pela quadratura de Marte a Vénus em Peixes. A complicar tudo temos um aspecto de alta tensão dificilmente ultrapassável que é o da semi-quadratura de Mercúrio recém entrado directo em Peixes a Urano em Touro o que traz à Luz revelações difíceis de encaixar e exige um máximo de discernimento e paciência para que a frustração não domine as comunicações.

Mas a chave do dia é, tal como ontem a conjunção do Nódulo Sul a Plutão e hoje também à Lua o que quer dizer que não nos podemos agarrar a poderes ou estruturas onde estávamos confortáveis. Não…há que ir procurar segurança emocional, doméstica, nacional noutro sítio, não para a perdermos mas sim para a reconstruirmos. Isso não acontece de um dia para o outro mas estes são dias em que estamos a dar passos incontornáveis nessa nova direcção, individual e/ou colectivamente. Pela madrugada de 30 a Lua sai de Capricórnio e faz quadratura de Aquário para o seu regente Urano em Touro e as tensões da semana acabam com uma ruptura impaciente quando descobrimos que não temos o apoio ou eco desejado.