A manhã pode ser muito produtiva se nos focarmos seriamente em mudar o que tem de ser mudado em preparação do que temos tratar no final da semana. Quando mais conseguirmos realizar de manhã melhor porque pela tarde é a comunicação e talvez até alguma discussão que nos aguarda… A Lua em Touro, até ao meio-dia faz trígono a Saturno e a Plutão em Capricórnio e sextil a Neptuno e Mercúrio em Peixes, aspectos por um lado de Terra, que permitem materializar processos de transformação da organização das estruturas da casa, trabalho, política, e por outro, de Água que representa uma oportunidade de traduzir palpavelmente o que o sonho ou as aspirações ditam.

Pela tarde a Lua entra em Gémeos e faz conjunção a Marte, como se tivéssemos de dar explicações sobre o que andámos a fazer e isso se tornasse um potencial de conflitos ou fizesse surgir dúvidas sobre os processos o que pode levar mesmo a bloqueios pelo sesquiquadrado a Saturno em Capricórnio: tudo o que se diz vai de encontro a uma parede de limites e responsabilidades.

São esses limites e responsabilidades simbolizados por Saturno e as forças maiores que não dominamos como o desejo estéril de tudo controlar, simbolizadas por Plutão, que esta semana,  a vontade cega ou os impulsos irreflectidos de iniciativa vão ter de enfrentar. De quarta a domingo, o Sol em Carneiro faz quadratura a Saturno e a Plutão em Capricórnio e dificilmente podemos levar por diante a nossa vontade sem ser obrigado a ajustamentos involuntários. Os conflitos vão surgir e seremos apanhados neles individual ou colectivamente. Que fazer? Cumprir as indicações do Nódulo Norte em Caranguejo e do Nódulo Sul conjunto a Saturno e Plutão que nos diz para, sem medo, ir procurar outra casa, outro ninho, outra fonte de segurança emocional, doméstica, familiar, nacional. Cortar as amarras com a velha ordem e criar novos espaços que melhor reflictam onde desejamos estar amarrados de futuro é a melhor linha a seguir.