Quais são as áreas de vida que não controlamos? E que controlo temos sobre nós próprios? Entramos hoje num longo período de retrogradação de Plutão em Capricórnio – até Outubro- em que devemos confrontar todas as sombras, compulsões e dinâmicas de poder que nos têm levado a fazer mudanças profundas na ordem das coisas. Temos estado a cortar amarras, à procura de novas bases de segurança emocional, na vida, em casa, família, trabalho, nação,  com o Nódulo Norte em Caranguejo em oposição a Saturno e Plutão a que hoje, – dia em que Plutão entra retrógrado, – se junta a Lua, a iluminar a ambição de ir mais longe, subir na escala de poder e a mostrar-nos que isso só é possível se houver grandes transformações de base. Com o Sol e Urano conjuntos em Touro e Vénus em Carneiro a tendência é para que as coisas aconteçam em  repentes, que nos surjam oportunidades súbitas de mudar, que sintamos o desejo de mudar radicalmente de valores, amores, investimentos, enfim, sair da cena em que estávamos para abrir portas noutra direcção. è neste cenário que começa a retrogradação de Plutão: mudamos sim, mas temos controlo sobre o processo? Temos controlo sobre o nosso próprio desejo ou impulso? Há que reflectir sobre o que queremos ainda mudar no futuro e como, mesmo que pareça que já não há tempo ou que é demasiado duro ou difícil. Marte em Gémeos está estes dias em quadratura a Gémeos e temos de ter cuidado com a clareza dos nossos propósitos. Como Neptuno e Plutão estão em sextil, há a possibilidade de termos a sensibilidade certa sobre o que esta a acontecer ou o que está a acontecer corresponder ao nosso sonho, mas a quadratura de Marte baralha a nossa expressão e há que ter cuidado com as palavras. Mais uma coisa a controlar…