É com a força criativa do Leão que hoje afirmamos os nossos desejos de fomentar uma nova segurança emocional, doméstica ou nacional, mesmo que isso represente rupturas com a tradição ou com o estado existente das coisas. Somos impelidos a falar e a agir para compensar velhas carências pela conjunção de Lua, Mercúrio e Marte em Leão, em trígono a Quíron em Carneiro, aspectos em signos de Fogo que exigem acção criativa. Essas energias reflectem-se naquilo a que chamaremos “casa”, onde encontramos segurança e o conforto do que nos é querido seja em família seu noutras circunstâncias que nos têm satisfação emocional. É Vénus, o Sol e o Nódulo Norte em Caranguejo que nos fazem olhar para dentro, para o intimo, para o familiar e securizante e com a Lua seu regente em Leão conjunta a Marte e Mercúrio tornado-nos os defensores das nossas próprias causa de existência.  Avançamos assim com empenho e mesmo algum dramatismo para o projecto de futuro, iluminado no eclipse de há poucos dias, e que obriga a rupturas profundas com a ordem existente, já caduca e a necessitar de ser reformulada, sinais dados pela presença do Nódulo Norte em Caranguejo e do Nódulo Sul conjunto a Saturno em Capricórnio. Um sextil de Neptuno a Saturno e o seu trígono ao Nódulo Norte indicam a forte componente ideológica ou de sonho e fantasia que guia todos os passos de avanços e rupturas que estamos a dar.  O que é preciso ter em conta é que a partir de segunda feira próxima e até à Lua Nova de 1 de Agosto, Mercúrio vai estar retrógrado voltando do Leão para o Caranguejo e chegando a fazer oposição a Plutão em Capricórnio. Isto quer dizer que muito do que for afirmado com veemência daqui até segunda feira, provavelmente vai ter de ser sujeito a revisão e correcção, em particular a seguir à Lua Cheia e eclipse da Lua no próximo dia 16. Estudar bem o que se pretende defender, afinar a lógica da vontade e não esquecer os detalhes relevantes a preencher ajudam desde já a ter que recuar menos nas posições tomadas quando Mercúrio andar para trás.