Por Clara Days:

Palavras-chave: individualidade; afirmação; consciência; auto-estima

Aqui estou eu, para o que der e vier. Mostre-se cada um como é, consciente, confiante, entregando-se ao mundo e aos outros, com vitalidade e bonomia. Assim é a mensagem do Sol.
Antepenúltimo Arcano Maior numerado, pertence assim ao terceiro septenário, denominado por Jung como “O Reino da Iluminação e da Auto-Realização”. Em termos individuais, é a carta que evidencia de modo mais óbvio estas características. Há nela uma assunção plena de quem somos, ultrapassadas as sombras, que já conhecemos e integrámos. O Arcano 19 favorece a expansão pessoal, construtiva e bondosa, assertiva também.
Há no Sol ambição e inocência, auto-estima e generosidade, libertação e sucesso. Tudo isto corresponde a um tipo de harmonia que acerta quem somos com o que damos e mostramos. Já não há nada a esconder, temos essa segurança e, simultaneamente, o desejo de intervir para melhorar a vida e o mundo, a partir do nosso lugar. Seremos o centro, mas saímos para fora.
O Tarot de Osho Zen chama a esta carta “Inocência”, outros designam-na como “Iluminação”, “Reconciliação”, “Luz” ou “Esclarecimento”.

Nas cartas, o próprio Sol é personagem, humanizado, com um rosto que ostenta um sorriso ou uma expressão de bondade. A presença recorrente de crianças atribui-lhe as virtudes do optimismo e da inocência, também da liberdade. Por vezes, um cavalo branco, outro símbolo de libertação positiva, flores (particularmente o girassol), um muro que foi transposto. A criança, ou crianças, podem transportar uma bandeira vermelha desfraldada, e o vermelho é cor de vida e de alegria. Baralhos recentes, mais eclécticos na simbologia, continuam a representar a luz, a vibração matinal.
Astrologicamente, o Sol corresponde ao Sol, o “planeta” que representa o Eu e o modo como nos afirmamos. A letra hebraica que lhe corresponde é RESH ou REISH, a arte da clarificação. O número 19 pode ser considerado na sua totalidade, representando força e auto-confiança, ou reduzido a 1, como a unidade, o Eu. Título esotérico deste Arcano Maior: “O Senhor do Fogo do Mundo”.

Vivemos um momento iluminado, tiremos partido disso. Usemos a energia positiva do Sol para visualizar metas, para avançar na sua direcção sem medos. Aproveitemos esta auto-confiança para afirmar a nossa vontade, de um modo empático e construtivo.
O Sol é fonte de vida, certamente. Mas atenção, ele é fogo, também seca e incendeia. Quando nos inspira, temos que não perder de vista a harmonia geral, temos que manter a água, o ar e a terra ao nosso alcance também. Se nos aproximarmos demasiado do Sol, como Ícaro, podemos cair, sem salvação.
Deixemos antes que imperem a bonomia e a generosidade. Abramos o nosso Eu ao mundo, assumamos a nossa vibração pessoal como elemento único que participa no equilíbrio do colectivo.
Faça-se luz, chegou o Sol.

Imagem: Tarot de Visconti, versão da colecção Cary-Yale, sév. XV
Clara Days